Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação/Famurs
Agro
Sobe para 50 o número de municípios que decretaram situação de emergência pela estiagem no RS
Prefeitos reclamam da morosidade da Defesa Civil na homologação dos decretos . Outras 15 cidades devem decretar emergência nas próximas horas.
GaúchaZH/Redação
por  GaúchaZH/Redação
15/01/2020 21:17 – atualizado há 1 mês
Continua depois da publicidadePublicidade

A estiagem e a irregularidade da chuva que caiu nas últimas semanas elevou, mais uma vez, o número de cidades em situação de emergência no Rio Grande do Sul. De acordo com o último levantamento da Defesa Civil estadual, 50 prefeituras já formalizaram a ação. Todas alegam perdas nas lavouras e pedem auxílios que vão de renegociação de dívidas a água potável para moradores.

Desde terça-feira (14), oito cidades somaram-se à lista das que estão pedindo ajuda do Estado e da União: Canudos do Vale, Barros Cassal, Quinze de Novembro, Ibirubá, São Gabriel, Vera Cruz, São Domingos do Sul e Faxinal do Soturno. Outros 15 municípios já deram entrada no sistema integrado de informações sobre desastres, o que indica que podem assinar o decreto nos próximos dias.

Nenhum município teve até agora a situação de emergência homologada. Essa é a parte do processo que costuma demorar mais e depende dos governos estadual e federal. A iniciativa das prefeituras visa a facilitar o recebimento de recursos e, assim, amenizar os problemas dos agricultores, ajudando também na renegociação de dívidas.

Prefeitos reunidos na Famurs nesta semana, reclama da morosidade com a Defesa Civil do Estado encaminha os processos.  A queixa chegou ao governador Eduardo Leite que já teria cobrado mais agilidade. 

A estiagem que atinge o Estado desde dezembro — e que deverá permanecer até o final de fevereiro —, é considerada a mais severa desde 2012. Somente em Santa Cruz do Sul e Venâncio Aires, o prejuízo é estimado em mais de R$ 100 milhões. Na Serra, a quebra na safra da uva pode chegar a 30%.

As culturas mais atingidas são as de milho, soja, feijão e leite. Nesta semana, entidades que representam agricultores e o governo gaúcho formularam um documento com 10 reivindicações de auxílio imediato.

Uma delas, a prorrogação do calendário de plantio do milho e da soja, não foi bem recebida no Ministério da Agricultura. No entanto, o Estado segue atuando nos bastidores, tentando sensibilizar a ministra Tereza Cristina. A justificativa é que, como a chuva cai de forma esparsa, poderá possibilitar o plantio em algumas regiões.

Cidades que decretaram situação de emergência

  • Agudo
  • Amaral Ferrador
  • Arroio do Meio
  • Barão do Triunfo
  • Barros Cassal
  • Boqueirão do Leão
  • Cachoeira do Sul
  • Camaquã
  • Candelária
  • Canguçu
  • Canudos do Vale
  • Cerro Branco
  • Cerro Grande do Sul
  • Chuvisca
  • Cristal
  • Dom Feliciano
  • Encruzilhada do Sul
  • Estrela Velha
  • Faxinal do Soturno
  • Gramado Xavier
  • Herveiras
  • Ibirubá
  • Itatiba do Sul
  • Lagoão
  • Mariana Pimentel
  • Mato Leitão
  • Muitos Capões
  • Nova Palma
  • Pantano Grande
  • Paraí
  • Passo do Sobrado
  • Ponte Preta
  • Progresso
  • Quinze de Novembro
  • Rio Pardo
  • Santa Cruz do Sul
  • Santa Tereza
  • São Domingos do Sul
  • São Gabriel
  • São Gabriel
  • São Jerônimo
  • São Lourenço do Sul
  • Segredo
  • Sertão Santana
  • Sinimbu
  • Sobradinho
  • Vale do Sol
  • Vale Verde
  • Venâncio Aires
  • Vera Cruz

Cidades que já informaram perdas, mas que não assinaram o decreto de emergência

  • Alto Alegre
  • Arroio do Tigre
  • Butiá
  • Fontoura Xavier
  • Ibirama
  • Maquiné
  • Marau
  • Montauri
  • Nova Bassano
  • Novos Cabrais
  • Passa Sete
  • Pinhal Grande
  • Salto do Jacuí
  • Santo Antônio da Patrulha
  • Soledade
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE