Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação Polícia Civil
Segurança
Quadrilha responsável por ataque a carro-forte é alvo de operação da PC
Foram cumpridas 64 ordens judiciais em Porto Alegre, Getúlio Vargas, Bento Gonçalves, São Gabriel e Capão Canoa, além de São Paulo.
Correio do Povo/PC
por  Correio do Povo/PC
25/05/2022 09:21 – atualizado há 24 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Uma quadrilha responsável por um ataque a carro-forte, ocorrido ainda em dezembro de 2021 em Guaíba, é alvo de operação da Polícia Civil nesta quarta-feira. Foram cumpridas 64 ordens judiciais em cinco cidades do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, Getúlio Vargas, Bento Gonçalves, São Gabriel e Capão Canoa, além de São Paulo. Das ordens judiciais, foram mandados de prisão preventiva, sete de prisão temporária e mais 55 de busca e apreensão. Seis pessoas  foram presas.

A investigação

Durante a investigação, foram identificados os responsáveis pela aquisição dos vestuários táticos e do armamento utilizado pelos autores do roubo ao carro forte. Um dos suspeitos presos na operação foi identificado como sendo o líder da organização criminosa, executando funções de comando no dia da ação. Apurações anteriores sobre o mesmo suspeito identificaram a prática de crimes de roubo a carro-forte praticado com emprego de fuzil.

Outros dois presos participaram efetivamente do roubo ao carro forte, dirigindo os veículos utilizados no dia. Os demais presos tiveram suas tarefas divididas entre: fornecer informações privilegiadas acerca do funcionamento da empresa e fornecer armamento e materiais táticos análogos ao utilizado pela Polícia Civil.

A investigação deu conta o roubo foi praticado por pessoas participantes de organização criminosa, subdividida em, ao menos, 4 (quatro) núcleos distintos. Um deles, denominado  NÚCLEO SECUNDÁRIO – AQUISIÇÃO E DISPONIBILIZAÇÃO DE ARMAS DE FOGO era composto por pessoas naturalmente vinculadas a cidade de Getúlio Vargas. 

As investigações apontaram que a arma - um fuzil- utilizada no ataque  era de propriedade de um morador da cidade de Getúlio Vargas tendo ele adquirido, não somente ela, mas ao menos outras 3 pistolas, por meio de certificado de colecionador e de atirador expedido pelo Exército Brasileiro, meses antes. O homem, foi preso temporariamente em 04 de fevereiro de 2022, já estando em liberdade.

Para a aquisição dessas armas houve o concurso de mais outras 4  pessoas, contra as quais houve a decretação de prisões temporárias. São 3  homens e 1 mulher.

O crime

Portando fuzis e pistolas, utilizando roupas com identificação da Polícia Civil e tripulando uma falsa viatura, os ladrões abordaram os vigilantes do carro-forte e roubaram R$ 4,35 milhões.

Após o assalto, a quadrilha se dirigiu até a Ilha do Pavão, na Capital, onde dois bandidos foram presos em flagrante e outros dois mortos após confronto com a Brigada Militar. Foram localizados coletes balísticos, revólveres, fuzil, carregadores, munições de calibres diversos e uma série de equipamentos e vestimentas táticas. O dinheiro roubado foi recuperado pela polícia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE