Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Rio Grande do Sul
RS: Cinco regiões Covid estão sem leitos de UTI na rede privada
Taxa de pacientes ocupando camas de alta complexidade nas instituições particulares é a maior dos últimos nove dias.
Rádio Guaiba
por  Rádio Guaiba
27/10/2021 16:12 – atualizado há 24 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Subiu para cinco – de um total de 21 – o número de regiões Covid sem vagas para pacientes graves em leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) em hospitais que integram a rede privada. Nesta quarta-feira, a situação atinge as seguintes áreas: Cachoeira do Sul (250%), Pelotas (138,9%), Santa Cruz do Sul (120%), Passo Fundo (116,7%) e Novo Hamburgo (103,9%).

No geral, a média de ocupação das UTIs particulares em território gaúcho é de 76% nesta tarde, o que indica situação moderada. Contudo, 644 pacientes estão ocupando leitos de alta complexidade na rede privada – maior taxa de ocupação dos últimos nove dias.

Já em relação as instituições pública, o cenário segue confortável. Em média, a lotação dos leitos de UTI é de 54%, em que apenas a área de Cachoeira do Sul opera acima dos 80%.

No geral, contando as vagas nas redes pública e privada, a ocupação das vagas de alta complexidade em território gaúcho é de 60%. Atualmente, são 1.984 pacientes para 3.301 vagas.

Nos Hospitais de Erechim são cinco pacientes em leitos de UTI recebendo tratamento para a Covid-19

De acordo com os boletins divulgados na tarde desta quarta-feira pelos hospitais, no HST três erechinenses ocupam leitos de UTI Covid, além de dois pacientes de Erebango. O Hospital de Caridade tem apenas um paciente internado em leito clínico covid. 

Os pacientes hospitalizados tem entre 58 e 88 anos.

Atualização

Nesta quarta, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou mais 25 mortes e 3.401 novos casos de coronavírus. Assim, o Estado alcançou 35.389 óbitos e 1.461.707 contaminados. Desses, 97% se recuperaram e 1% segue em acompanhamento médico.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...