Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Santa Catarina
Santa Catarina gera 20.305 empregos formais em agosto e mantém momento positivo
Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social nesta quarta-feira, 29.
Governo SC
por  Governo SC
29/09/2021 14:20 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Com mais 20.305 postos de trabalho formais gerados em agosto, Santa Catarina fortalece a condição de uma das melhores unidades da Federação na geração de empregos. O estado tem um saldo positivo de 158.946 postos formais em 2021 e chega a 234.660 no acumulado dos últimos 12 meses. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social nesta quarta-feira, 29.

"Mesmo tendo apenas a décima maior população do Brasil, Santa Catarina é o terceiro estado em geração de empregos. Somos o único no Sul e no Sudeste a aumentar em mais de 10% o número de empregados formais nos últimos 12 meses", observou o governador Carlos Moisés. Na avaliação dele, o saldo positivo é reflexo da união de esforços entre os setores público e privado. É mérito dos empresários, empreendedores e trabalhadores catarinenses. No que cabe ao Governo do Estado, nossa missão é prover infraestrutura, segurança jurídica e facilidade para a abertura e operação das empresas. Temos um trabalho muito forte nesse sentido", avaliou.

Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

Em agosto, todos os setores tiveram saldo positivo em Santa Catarina. Os destaques ficaram com os serviços (9.621) e a indústria (6.141). Comércio, construção e agropecuária também contrataram mais do que demitiram, com saldos positivos de 2.982, 1.408 e 153, respectivamente.

Motivos para a geração de empregos em alta

Para o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, parte do resultado se deve ao fato de que Santa Catarina está se tornando um grande complexo de comércio exterior. A eficiência dos postos alfandegados faz com que Santa Catarina atraia milhares de empresas por ano. Estes grandes operadores alfandegados são, ainda, aliados a dois importantes fatores para a geração de empregos: a agricultura familiar, vinculada ao agronegócio; e a tradicional diversidade industrial.

"É importante ressaltar o papel do Governo do Estado, em fazer a articulação dos complexos produtivos por meio de segurança jurídica, além da segurança tributária e dos elevados benefícios fiscais que se pagam no processo. Para o estado continuar mantendo os altos índices, é necessário continuar investindo fortemente em infraestrutura de escoamento de produção para mercados nacionais e internacionais, em mobilidade urbana, no turismo, em segurança hídrica e energética, além da segurança pública, área em que vem recebendo os maiores investimentos da história catarinense", considerou Paulo Eli.

Foto: Maurício Vieira/Secom

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon, atribuiu os resultados positivos à diversificação e ao trabalho conjunto. "Somos um estado pujante com uma economia diversificada, temos vagas abertas em praticamente todos os setores. Dados que colocam a economia catarinense em destaque nacional, acima da média. Muitos desses resultados são consequência de um trabalho em conjunto que fortalece o setor produtivo, atrai novas empresas e incentiva a expansão de outras. Cuidar do emprego e também cuidar da saúde, esta é a receita que mostra que estamos preparados para ter um dos melhores verões da história", destacou.

Detalhamento dos últimos 12 meses

No período de 12 meses, entre setembro de 2020 e agosto de 2021, recorte que desconsidera a sazonalidade na geração de empregos, Santa Catarina também apresenta dados positivos. O saldo é de 234.660 postos, o terceiro melhor do Brasil, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais, que são os mais populosos do país.

Nesse período, foram 1.380.142 contratações e 1.145.482 desligamentos em Santa Catarina. Entre as admissões, 66.809 foram registradas como o primeiro emprego do trabalhador. Entre os desligamentos, 507.798 foram a pedido do próprio empregado, 426.822 dispensas sem justa causa, 168.033 términos de contratos por prazo determinado e o restante por outras razões, como dispensa por justa causa, aposentadoria, acordo entre empresa e trabalhador ou óbito.

Santa Catarina é o único estado do Brasil onde o número de demissões sem justa causa é menor do que os desligamentos a pedido do empregado. O estado catarinense também tem o menor percentual de vínculos encerrados por óbito do trabalhador. São 0,43% do total de desligamentos nos últimos 12 meses.

Mais de 95% dos municípios com saldo positivo

Dos 295 municípios catarinenses, 283 apresentaram saldo positivo nos últimos 12 meses. Isso representa 95,9% dos municípios com mais contratações do que demissões, o maior percentual do Brasil.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...