Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Santa Catarina
MPF investiga prefeito de Chapecó que adotou tratamento precoce contra Covid-19 no município
João Rodrigues diz que a decisão foi tomada de forma colegiada por um grupo que contava com médicos, representantes de hospitais, entidades empresariais e órgãos públicos.
O Globo/NSC
por  O Globo/NSC
17/09/2021 04:40 – atualizado há 1 mês
Continua depois da publicidadePublicidade

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou um inquérito para apurar se medidas tomadas pela prefeitura de Chapecó favoreceram a transmissão da Covid-19 e colaboraram para a crise sanitária enfrentada entre fevereiro e março deste ano, quando a região Oeste vivenciou colapso no sistema de saúde. A informação é do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

Segundo a publicação, o MPF listou no inquérito atos do prefeito João Rodrigues (PSD) como o incentivo ao uso de “tratamento precoce”, com remédios como cloroquina e ivermectina, e a flexibilização de atividades no período que antecedeu a explosão de casos. João Rodrigues pode responder por improbidade administrativa.

O que diz o prefeito

João Rodrigues disse à coluna que soube da investigação pelo jornal O Globo, e contestou as informações do inquérito.

- É infundada, improcedente, inconsequente e injusta essa manifestação – afirmou.

Quanto às flexibilizações, o prefeito afirma que Chapecó tinha as mesmas regras das demais cidades do Estado, e que tomou medidas quando estouraram os casos de Covid-19 na cidade. Ainda de acordo com ele, as decisões a respeito da gestão da pandemia foram tomadas de forma colegiada, em um grupo que contava com médicos, representantes de hospitais, entidades empresariais e órgãos públicos.

Quanto ao tratamento precoce, o prefeito nega que tenha adotado a medida como protocolo.

- Chapecó nunca teve protocolo (de tratamento precoce). Apoiamos sim os médicos que tiveram a iniciativa de fazer o tratamento precoce. E outros médicos fizeram os protocolos normais, sem tratamento precoce. Não proibimos, apoiamos o que os médicos desejavam fazer.

Exemplo

Chapecó foi considerada exemplo de reação à pandemia pelo presidente Jair Bolsonaro, que esteve na cidade no dia 7 de abril para conhecer a experiência do município. Em seu discurso, o presidente criticou medidas restritivas e fez defesa do tratamento precoce.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...