Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Esporte
Brasil sofre, mas vence Chile e quebra recorde nas Eliminatórias
Seleção alcançou, pela primeira vez na história, sete vitórias em sete jogos na competição. Everton Ribeiro fez o gol da partida.
R7
por  R7
03/09/2021 01:17 – atualizado há 9 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

O Brasil sofreu mais do que deveria, mas venceu o Chile por 1 a 0 nesta quinta-feira (2), em Santiago, pela sétima rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo 2022. Além da vitória, a seleção brasileira fez história ao alcançar sete vitórias em sete jogos, quebrando o recorde de mais vitórias consecutivas na competição. Everton Ribeiro, no segundo tempo, fez o gol solitário da partida.

Com o resultado, o Brasil se mantém 100% nas Eliminatórias e é lider disparado, com 21 pontos. A Argentina, que venceu a Venezuela também nesta quinta, é a segunda colocada, com 15. Com a derrota, o Chile se afasta do pelotão de frente e é o sétimo colocado na tabela, com apenas seis pontos conquistados.

Num primeiro tempo de muita imposição do Chile, que tinha a torcida a seu favor no Monumental de Santiago, o Brasil quase não chegou ao gol de Claudio Bravo e o empate em 0 a 0 foi lucro diante da atuação dos comandados de Tite.

Vidal, maestro da equipe do Chile, tinha muita liberdade para jogar e não a toa foi o melhor jogador da primeira etapa. Com Vargas saindo da área para jogar, o Brasil ficava em dúvida na marcação e dava espaços para os avanços de Mena, pela esquerda, e Isla, na direita. Por dentro, a seleção chilena levou muito perigo nos chutes de fora da área, especialmente com Vidal.

A seleção de Tite tentava jogar no contra-ataque, e teve ótimas situações para tentar criar alguma jogada de perigo, mas não conseguiu. Neymar, Vinícius Jr e Gabigol em diversos momentos tiveram a bola em velocidade, quase sempre com o Brasil posicionando mais atacantes do que o Chile tinha de defensores, mas as jogadas não saíam. Do trio de ataque, Neymar era quem mais parecia distante do jogo, com erros que não costuma cometer.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE