Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Rio Grande do Sul
Com 64 casos estimados de variante Delta, Comitê Científico pede reforço dos protocolos sanitários no RS
Surtos em hospitais de Porto Alegre também fizeram preocupação aumentar.
Rádio Guaiba
por  Rádio Guaiba
09/08/2021 21:13 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Com 64 casos estimados da variante Delta até o fim de julho (11 deles já confirmados pelo sequenciamento genético completo, realizado na Fiocruz), o Comitê Científico de Apoio ao Enfrentamento à Pandemia da Covid-19 recomendou, nesta segunda-feira, o reforço de protocolos sanitários, em todo o Rio Grande do Sul e a importância da vacinação completa contra o vírus. A nota técnica considera que o número de possíveis casos de Delta, identificados por sequenciamento parcial, subiu de 34 (número da sexta-feira passada) para 53.

A preocupação quanto à circulação da cepa em cidades gaúchas também cresceu, nos últimos dias, após o registro de dois surtos de contaminação no Hospital Vila Nova e no Hospital Nossa Senhora da Conceição, ambos em Porto Alegre.

Nesta segunda-feira, o surto no Hospital Conceição já registra 54 contaminados com Covid-19, entre funcionários e pacientes. Dois pacientes morreram e a suspeita é que de ao menos cinco desses casos sejam da variante indiana.

Mesmo com o avanço da imunização, a equipe técnica demonstra preocupação para “o novo desafio epidemiológico-sanitário vis-à-vis à preservação da atividade econômica e o desenvolvimento de nossos munícipios e regiões”.

Para conter a circulação da Delta, a equipe técnica do Comitê pede o reforço do uso de itens de proteção individual e adverte para a vacinação como medida mandatária para todos os profissionais e funcionários dos serviços de saúde. A recomendação se estende às fronteiras gaúchas e chama a atenção para o crescimento de casos novos da variante Lambda, inicialmente descrita no Peru e que vem ganhando espaço nos países vizinhos da América Latina.

Para o Comitê Científico, o retorno das atividades presenciais na educação também acende um sinal de alerta. Por conta disso, a nota recomenda o cuidado em ambientes de sala de aula “em um cenário de cobertura vacinal baixa e incompleta”. E ainda ressalta: “crianças são suscetíveis ao vírus e, com a presença de uma variante mais transmissível e que pode levar a um aumento substancial na carga viral como a Delta, devemos alertar aos educadores para o reforço dos cuidados quanto ao uso de máscaras, bem como o cumprimento do distanciamento entre as classes, além de manter os ambientes bem ventilados e arejados nos locais de sala de aula”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...