Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Agro
A importância da agricultura familiar no Dia do Agricultor
77% dos estabelecimentos agrícolas do país foram classificados como de agricultura familiar.
Assessoria de Comunicação /SUTRAF- AU
por  Assessoria de Comunicação /SUTRAF- AU
28/07/2021 11:56 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Desde 1960, o dia 28 de julho é o Dia Nacional do Agricultor. A data foi criada pelo aniversário de 100 anos da fundação do Ministério da Agricultura. A atividade é uma das principais na economia brasileira e a agricultura familiar tem um grande papel na vida dos brasileiros.

Ela é considerada a principal responsável pela produção dos alimentos que são disponibilizados para o consumo da população brasileira, conforme o Ministério da Agricultura. Como o nome indica, as propriedades são geridas pelas próprias famílias, que têm na atividade agropecuária a principal fonte de renda.

Uma característica dessas propriedades é a diversidade produtiva. Milho, raiz de mandioca, pecuária leiteira, gado de corte, ovinos, caprinos, olerícolas, feijão, cana, arroz, suínos, aves, café, trigo, mamona, fruticulturas e hortaliças são alguns dos produtos apontados como destaque do setor. Essa diversidade ocorre pois, além da produção destinada à venda, essas propriedades costumam também realizar a produção de subsistência, isto é, para o consumo da família. “É considerado agricultor familiar o indivíduo que pratica atividades no meio rural, possui área de até quatro módulos fiscais, mão de obra da própria família, renda familiar vinculada ao próprio estabelecimento e gerenciamento do estabelecimento ou empreendimento pela própria família”, conforme a Lei 11.326, de 24 de julho de 2006.


Censo
No Brasil, 77% dos estabelecimentos agrícolas do país foram classificados como da agricultura familiar, conforme o Censo Agropecuário de 2017, realizado pelo IBGE. No Rio Grande do Sul, a porcentagem é ainda maior. No estado, 80,5% dos estabelecimentos são de agricultura familiar. Ainda assim, no país a agricultura familiar ocupava apenas 23% da área total dos estabelecimentos agropecuários.

Outros dados relevantes apontados pelo censo, em relação à agricultura familiar, é o número de pessoas empregadas. Em 2017, eram empregadas mais de 10 milhões de pessoas, isto é, 67% do total de pessoas ocupadas na agropecuária. O valor da produção da agricultura familiar chegava a R$ 107 bilhões, o que corresponde a 23% do valor total da produção dos estabelecimentos agropecuários.

Manutenção
As propriedades rurais dependem da família , sucessão para sua manutenção e de políticas públicas para se manterem. Embora a população rural venha diminuindo e isso preocupe, hoje o maior desafio é produzir alimentos sem políticas públicas, já que o governo federal e estadual pouco tem feito para valorização desta categoria. O desestímulo muitas vezes é o maior incentivador de pessoas deixarem o meio rural

SUTRAF Alto Uruguai
O Sindicato Unificado dos Trabalhadores no Alto Uruguai – SUTRAF-AU nasceu da necessidade de articulação política das lutas e mobilizações pelo fortalecimento da agricultura familiar e de um projeto de desenvolvimento da região. Conforme o coordenador geral do Sindicato, Alcemir Bagnara, são muitos os desafios a serem enfrentados. “ Os desafios atuais estão colocados pelas novas dinâmicas estabelecidas a partir da pandemia, dentre elas a produção de alimentos para programas sociais que garantem que a população pobre possa ter acesso a alimentos. Por outro lado, os custos de produção têm aumentado assustadoramente e, mesmo com alta nos preços dos produtos agrícolas, cada vez fica mais difícil de continuar produzindo. Neste sentido os governos e o Estado têm papel fundamental, o que não foi visto nestes últimos anos”, destacou Bagnara.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...