Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Esporte
Gabriel Medina e Ítalo Ferreira estão nas semifinais da disputa de surfe da Olimpíada
Como Ítalo e Medina estão em chaves diferentes, na pior das hipóteses, caso os dois percam nas semifinais, o Brasil garante um bronze. 
EBC Esportes
por  EBC Esportes
26/07/2021 20:50 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade
O brasileiro Gabriel Medina avançou para as semifinais da disputa de surfe da Olimpíada, após superar o taitiano Michel Bourez, que representa a França nos Jogos de Tóquio (Japão), por 15,33 a 13,66, no início da noite desta segunda-feira (26) na Praia de Tsurigasaki.

E a vitória do bicampeão mundial (do Circuito Mundial de Surfe) aconteceu em um panorama bem diferente do visto nos últimos dias. A aproximação de um Tufão da costa do Japão fez com que o mar subisse muito, oferecendo aos atletas melhores condições de competição.

Com uma condição mais favorável, com ondas de mais de 2 metros, Medina brilhou e superou Bourez com certa folga, alcançando a melhor nota da competição de surfe até aqui, um 9, após dar um belo aéreo, um full rotation de backside.

O próximo desafio de Medina na competição será o japonês Kanoa Igarashi, que venceu o norte-americano Kolohe Andino por 12,60 a 11. A disputa acontece ainda no final da noite desta segunda.

Ítalo Ferreira avança e garante, ao menos, um bronze para o Brasil

O potiguar Ítalo Ferreira garantiu presença na disputa das semifinais da disputa do surfe e, com isso, garantiu ao Brasil, ao menos, uma medalha de bronze na modalidade. Isto acontece porque, também na noite desta segunda-feira (26) na Praia de Tsurigasaki, Gabriel Medina também avançou.


Como Ítalo e Medina estão em chaves diferentes, na pior das hipóteses, caso os dois percam nas semifinais, o Brasil garante um bronze. Já no caso de vitória de ambos na próxima fase, o país consegue um ouro e uma prata.

Melhor nota da competição

Tendo a seu dispor ondas de mais de 2 metros, o potiguar começou com tudo sua bateria contra o japonês Hiroto Ohhara, dando um aéreo (um full rotation de backside) que lhe deu um 9,73, a maior nota dos Jogos Olimpícos. A partir daí Ítalo administrou a vantagem e conseguiu fechar a disputa em 16,30 a 8 para avançar.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...