Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Licença para uso de arma cresce 67% no país no 1º semestre
Minas (10.916), Rio Grande do Sul (8.499) e Santa Catarina (6.460) lideraram as licenças no primeiro semestre.
Rádio Guaíba
por  Rádio Guaíba
25/07/2021 20:40 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

A Polícia Federal liberou a civis o equivalente a 419 armas de fogo por dia no Brasil durante o primeiro semestre de 2021. A quantidade, que totalizou 76.329 novas armas em circulação, representa crescimento de 67% ante os primeiros seis meses do ano passado. Essa é a maior taxa em pelo menos 13 anos, demonstrando a alta vertiginosa sentida sob a gestão Jair Bolsonaro, defensor de maior acesso a armas pela população civil.

A elevação nas concessões destinadas a cidadãos comuns ocorreu em todos os estados, mas, em números absolutos, Minas (10.916), Rio Grande do Sul (8.499) e Santa Catarina (6.460) lideraram as licenças no primeiro semestre.

Foto: Agência Brasil

Em termos proporcionais à população, Rondônia (16,9 novas armas por 10 mil habitantes), Mato Grosso (15,8) e Acre (12,8) aparecem à frente. Os dados foram obtidos junto à PF pela agência Fiquem Sabendo, especializada no acesso a informações públicas, e reportados neste domingo pelo jornal O Estado de S.Paulo.

Os números dizem respeito a armas concedidas na categoria “cidadão”, que representa civis buscando a autorização para arma própria, geralmente com intuito de defesa pessoal. Armas concedidas a órgãos de segurança pública ou ao Judiciário são contabilizadas em outras categorias pela PF.

Para Natália Pollachi, gerente de projetos do Instituto Sou da Paz, um dos motivos é a flexibilização por meio de portarias e decretos facilitando o acesso. Desde o início da gestão Bolsonaro, são 31 alterações de normas, conforme um estudo do Sou da Paz.

Divulgado este mês, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública apontou aumento de armas de fogo no País como uma das explicações para a escalada de mortes violentas. Houve ainda mais armas de fogo em assassinatos registrados: 78% deles tiveram uso do instrumento. Em 2019, foram 72,5%.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...