Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Polícia Civil resgata mulher sequestrada em Caxias do Sul
Polícia Civil localizou cativeiro em Balneário Arroio Teixeira, em Capão da Canoa.
O Sul
por  O Sul
22/07/2021 22:16 – atualizado há 29 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Na tarde desta quinta-feira (22), a Polícia Civil localizou em Balneário Arroio Teixeira, em Capão da Canoa, o cativeiro em que uma mulher de 36 anos era mantida há dois dias em cárcere privado. A vítima foi libertada sem o pagamento de resgate e encontra-se bem de saúde. Seis pessoas foram presas.

A vítima foi sequestrada nesta terça-feira (20), por volta das 7h30min, no Centro de Referência de Assistência Social da Zona Norte de Caxias do Sul, local em que trabalha como assistente social. Os sequestradores, a partir de então, passaram a exigir o pagamento em dinheiro ao marido da vítima, um empresário de Flores da Cunha, para libertá-la.

Foto: Raquel Hoefel/Divulgação

Na ação, coordenada pela Draco (Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas) de Caxias do Sul, com apoio da 1ª Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos (1ª DR), do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), e da PRF (Polícia Rodoviária Federal), um casal foi preso na Rota do Sol, duas pessoas na estrada próximo a Bom Princípio e as outras no local do cativeiro. De acordo com as investigações, amigos do marido da vítima planejaram o crime.

Em coletiva de imprensa sobre o caso, o titular da 1ª DR, delegado João Paulo de Abreu, disse que no cativeiro em que vítima foi encontrada também estava a arma de fogo utilizada no sequestro. A casa, inclusive, havia sido alugada pela internet por um dos criminosos há cerca de 7 dias. Frisou também que em 4 oportunidades, um dos mentores do sequestro e amigo do marido da vítima esteve na delegacia junto com ele para prestar apoio. “Oferecia carona e levava comida para o amigo, tudo na tentativa de se aproximar e descobrir o que a Polícia já sabia”, conta.

Já o titular da Draco de Caxias do Sul, delegado Luciano Righês Pereira, afirmou que esse foi um dos casos mais complexos do órgão até o momento. “Tão logo fomos acionados, começaram as diligências. Lançamos mão de inúmeras técnicas avançadas de investigação”, revelou, sem entrar em detalhes.

Para o Subchefe de Polícia, delegado Fábio Motta Lopes, o fato de a vítima sair ilesa fisicamente é uma vitória para a polícia e para a família. “Esse retorno que a gente viu hoje da vítima sendo libertada e a família não tendo pago nada, é muito gratificante para nós policiais que trabalhamos na investigação criminal”, disse.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...