Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Turistas são surpreendidos por sucuri gigante em rio de água transparente no MS
Grupo de turistas fazia flutuação em um rio de água cristalina em Jardim, região sudoeste de Mato Grosso do Sul.
G1
por  G1
21/07/2021 16:52 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Uma sucuri gigante foi flagrada por um grupo de turistas que fazia flutuação em um rio de água de cristalina em Jardim, região sudoeste de Mato Grosso do Sul, a 238 quilômetros de Campo Grande. O flagrante do guia de turismo Luiz Eduardo Gonçalves, foi feito de uma distância segura tanto para os 8 visitantes quanto para o animal.

Sucuri é flagrada por grupo de turistas, em rio de Jardim (MS) — Foto: Luiz Eduardo Gonçalves/Foto

Ainda de acordo com o guia, os turistas ficaram encantados com a beleza do animal. Os visitantes acompanharam todo o trajeto da sucuri naquele momento, antes dela desaparecer na água.

"Eu preparei o grupo em uma posição para que todos pudessem observá-la. Quando ela terminou de cruzar para o lado esquerdo, ela [sucuri] parou. Por isso que conseguimos vê-la bem. Ela só escondeu parte da cabeça e foi por quase 5 minutos que ficamos a admirando", disse ao G1.

O guia comentou que a experiência foi muito tranquila "Ninguém ficou com medo. Não se criou pânico, mesmo porque eles já estavam preparados para esse possível encontro, que deu certo. Por isso, todos puderam aproveitar e curtir o momento", relembra.

Aumento das sucuris no inverno

A doutora em Ecologia pela Universidade de São Paulo (USP), Juliana Terra, explicou quais são os principais motivos que facilitam observar as grande cobras.

A especialista, que também coordena um projeto voltado para as sucuris na região de Bonito, ressaltou que nesta época do ano é bastante comum que mais sucuris sejam vistas na região por causa da chegada do inverno, momento em que as serpentes buscam manter-se aquecidas pela luz solar.

"Não é nada atípico desse ano. Pelo contrário, é bastante comum e tem alguns motivos para isso. O principal é a temperatura. Quando chega maio ou junho, quando vamos entrando em períodos e baixas temperaturas. Então é assim, sempre antes ou após uma frente fria, é comum que elas utilizem as horas do dia do sol para se aquecerem, já que a água nessa época fica muito fria, especialmente durante a noite. Então é comum que elas busquem sair da água, busquem as margens dos rios ou barrancos que sempre ficam próximos dos leitos. Ali elas buscam se aquecer sob o sol."

Ela explicou que os animais são silenciosos.

"Não que nas outras épocas do ano elas não estejam ali. Qualquer época do ano elas estão neste local, só que a gente não consegue vê-las. São animais bastante quietos, não fazem barulho, elas são muito camufladas na água com sua coloração. Enfim, é muito difícil avistá-las", disse.

A especialista explicou ainda que as sucuris são ectotérmicos, ou seja, animais que não produzem calor metabolicamente, assim, buscando o aquecimento fora da água, momento em que a maioria dos registros fotográficos são feitos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...