Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Economia
Beneficiário do Bolsa Família poderá contratar crédito consignado
O plano é que a linha de crédito seja disponibilizada no aplicativo Caixa Tem.
guaiba
por  guaiba
04/07/2021 18:35 – atualizado há 7 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

A reformulação do Bolsa Família anunciada pelo governo federal deve trazer uma grande novidade para os beneficiários do programa. A Medida Provisória (MP) que trata das mudanças prevê a liberação de uma linha de crédito para contratação de empréstimo consignado. Isso significa que os segurados poderão pegar crédito consignado com um valor que corresponda até 30% do benefício.

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O plano é que a linha de crédito seja disponibilizada no aplicativo Caixa Tem. O pagamento das parcelas será feito mediante desconto direto no valor do benefício social. Segundo as informações divulgadas pelo Ministério da Cidadania, o inscrito que for excluído do Bolsa Família será obrigado a pagar o valor da dívida, sob risco ficar negativado. O empréstimo consignado deve ser anunciado junto com as demais regras atualizadas do benefício.

O programa

O programa distribui benefícios de R$ 89 até R$ 375, considerando que algumas famílias migraram temporariamente para o auxílio emergencial. Confira os valores pagos mensalmente:

Famílias em situação de extrema pobreza: R$ 89;

Famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza compostas por gestantes, nutrizes, crianças e adolescentes de 0 a 15 anos: R$ 41,00 (até 5 por família, totalizando R$ 205);

Famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza compostas por adolescentes entre 16 e 17 anos: R$ 48 (até 2 por família, totalizando R$ 96);

Famílias em situação de extrema pobreza: valor calculado de acordo da renda familiar.

A proposta inicial do governo é elevar o valor médio do programa para R$ 250, mas o presidente Jair Bolsonaro solicitou o aumento para R$ 300. A possibilidade está em análise pela equipe do Ministério da Economia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...