Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Agro
Agro teve bom desempenho durante pandemia, diz Presidente da Farsul
Abastecimento interno e externo, com o aumento nas exportações, foram pontos-chave.
Rádio Guaíba
por  Rádio Guaíba
28/06/2021 18:15 – atualizado há 1 mês
Continua depois da publicidadePublicidade

O desempenho do setor agropecuário durante a pandemia foi comemorado pelo presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Gedeão Pereira. Ele foi ouvido pela Rádio Guaíba e ressaltou o fato de não ter havido desabastecimento de alimentos no Brasil, ao mesmo tempo em que houve aumento nas exportações.

“As pessoas vão ao supermercado e a prateleira está cheia. Não apenas a gôndola brasileira, mas de mais de 1 bilhão de pessoas mundo afora”, disse o dirigente, durante o programa comandado pelo jornalista Guilherme Baumhardt.

No Rio Grande do Sul, a safra 2020/2021 registrou recorde de produção, o que segundo o presidente da Farsul representou uma injeção de R$ 70 bilhões na economia gaúcha. Para o Brasil, a expectativa, segundo ele, é de que o país alcance o patamar de 300 milhões de toneladas de grãos em dois anos. Hoje esse volume está em cerca de 270 milhões.

Quanto à demanda global, o dirigente destacou que o crescimento econômico, especialmente nos países asiáticos, é algo que a humanidade ainda não havia experimentado. “A demanda é contínua, constante e progressiva”, resumiu, citando que a Índia pode representar no futuro um mercado semelhante ao da China.

Irrigação

Pereira comentou que o combate à seca conta com tecnologia disponível, a irrigação. Mas lamentou que, no Rio Grande do Sul, a discussão jurídica sobre o tema tenha impedido avanços nesta área. O imbróglio envolve as áreas de preservação permanentes, na Metade Norte, e a reserva legal do Bioma Pampa, que é de 20%, na Metade Sul.

“Enquanto isso estiver no ar, vamos ter muitas dificuldades”, afirmou o dirigente, que defende a criação de açudes nas propriedades rurais para que o produtor possa utilizar o pivô central. “Irrigação sem água não existe, então temos que fazer a reservação de água”, defende.

O presidente da Farsul também comentou o que espera da Expointer 2021, que ocorre de 4 a 12 de setembro no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. A federação é uma das entidades co-promotoras e o formato da exposição segue em estudo. “Vai ser bem diferente do que houve no ano passado, mas nada parecido com o que foi em 2019”, acredita.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...