Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Economia
Brasil vai ter racionamento “educativo” para evitar apagão, diz presidente da Câmara dos Deputados
Segundo o deputado, que relatou conversa com o ministro de Minas e Energia, na semana passada, o racionamento deve evitar um agravamento futuro do problema
Agência Câmara Notícias
por  Agência Câmara Notícias
22/06/2021 22:00 – atualizado há 5 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta terça-feira que o país deve passar por um racionamento de energia “educativo” diante da crise hídrica que enfrenta.

Segundo o deputado, que relatou conversa com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, na semana passada, o racionamento deve evitar um agravamento futuro do problema.

“O ministro Bento esteve comigo, fazendo uma análise do cenário, garantindo que nós não vamos ter nenhum tipo de problema de apagão. Mas vamos ter que ter um período educativo aí de algum racionamento para não ter nenhum tipo de crise maior”, disse o presidente da Câmara após cerimônia no Palácio do Planalto.

Lira relatou que na conversa o ministro não chegou a apresentar um texto de proposta sobre a situação, mas falou-se da negociação do assunto que envolve até mesmo o Supremo Tribunal Federal. O governo estuda a edição de medida provisória para lidar com a crise hídrica.

“Ele esteve lá na residência oficial na semana passada, mas muito ‘en passant’, nada específico sobre o tema, nada com o texto ainda, mas com a perspectiva de que estavam tratando de alguma medida para isso, negociando, inclusive dentro do Supremo para ter segurança jurídica sobre qualquer medida que pudesse vir a anunciar”, completou.

O ministro de Minas e Energia vem afirmando que o governo brasileiro não trabalha com a hipótese de racionamento de energia em meio à crise hídrica. Também vem alertando que, por conta de um maior despacho de eletricidade termelétrica, o consumidor vai pagar mais.

Sobre o processo de sanção da MP da privatização da Eletrobras, que teve a tramitação concluída pelo Congresso na segunda-feira, Lira disse não ver motivo para eventuais vetos do presidente Jair Bolsonaro.

“O texto da Câmara foi um texto consensuado com o governo. O texto do Senado, no que o governo não concordou, o relator retirou e a Câmara manteve. Então não vejo razão para veto”, disse o presidente da Câmara.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...