Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Cidade
Sistema 3As: Gabinete de Crise define por emissão de "Aviso" neste momento para Erechim
Erechim apresentou um crescimento de 24% de novos casos Covid entre os dias 11 e 18 de maio. Gabinete de Crise destaca que a região entrará em Alerta se mantida a tendência de piora.
Assessoria Gov/RS
por  Assessoria Gov/RS
20/05/2021 14:00 – atualizado há 5 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Em reunião na manhã desta quinta-feira (20/5), o Gabinete de Crise avaliou as recomendações feitas pelo GT Saúde e confirmou a emissão de três dos quatro novos Alertas do Sistema 3As de Monitoramento sugeridos pela equipe técnica. Com isso, as regiões Covid de Palmeira das Missões, Santa Rosa e Uruguaiana devem ser comunicadas ao longo do dia sobre a necessidade de adotar medidas para conter o avanço da pandemia. Essas três regiões já haviam recebido Avisos da equipe técnica estadual na última terça-feira (18/5) e, devido à piora em indicadores da pandemia, o entendimento do governo foi pela necessidade de formalizar o pedido para que as regiões Covid passem para a Ação. 

O GT Saúde também havia recomendado um quarto Alerta para a região de Erechim, mas o Gabinete de Crise definiu pela emissão de Aviso para a associação regional e seus respectivos municípios.

Erechim apresenta um crescimento de 24% de novos casos Covid entre os dias 11 e 18 de maio, quando a incidência por 100 mil habitantes ainda se encontrava no mesmo patamar do número do Estado. Ou seja, será comunicada pelo governo quanto a este e outros indicadores que preocupam, mas ainda não será obrigada a encaminhar um plano de Ação. A equipe de técnicos manterá o monitoramento e, caso observe piora no quadro, poderá recomendar novamente o Alerta para avaliação do Gabinete de Crise.

“Estamos observando em outros Estados, como o Paraná, e na região, como Argentina e Uruguai, um aumento de casos, por isso é importante que todos se cuidem. Podemos estar diante de um crescimento no número de casos em todo o Estado, o que neste momento foi especialmente detectado nestas regiões, mas é importante que todos possam se cuidar, de si mesmos e de todos a sua volta”, completou Leite.

Avisos confirmados nesta quinta-feira (20/5):

ERECHIM
O GT Saúde havia recomendado um Alerta para a região de Erechim, mas a decisão do Gabinete de Crise foi para emissão de um Aviso neste momento. O fato de a região não ter recebido Aviso na reunião anterior do GT foi uma das razões que levou a essa decisão. No entanto, o Gabinete de Crise destaca que a região entrará em Alerta se mantida a tendência de piora.

Apesar do número de casos estar equiparado ao número do Estado, a região apresenta um crescimento consistente e preocupante: a incidência semanal de novos casos saiu de 143 em 6 de maio para 251,6 em 18 de maio, ou seja, um aumento de 24% somente na última semana.

Os pacientes internados, suspeitos e confirmados de Covid, em leitos clínicos também apresentaram expressiva elevação de 124% entre os dias 10 e 18 de maio, passando de 25 para 56 internados no período.

O número de pacientes confirmados em leitos de UTI também aumentou consideravelmente entre 17 e 18 de maio, elevando a taxa de ocupação para 93% na região.

CAXIAS DO SUL

A região de Caxias do Sul, apesar de não apresentar aumento expressivo no indicador de incidência de casos novos por 100 mil habitantes, demonstra tendência de aumento nas internações em leitos clínicos, com salto de 287 internados em 9 de maio, entre confirmados e suspeitos, para 373 em 18 de maio, ou seja, aumento de 30%.

No entanto, a equipe técnica leva em conta na análise que a Macrorregião Serra, que coincide com a região Covid de Caxias do Sul, apresenta como característica receber pacientes de outras macrorregiões do Estado, por isso emitiu o Aviso, e não Alerta.

Clique aqui para ler o relatório do Aviso emitido pelo Estado para Caxias do Sul.

BAGÉ
No indicador de incidência de casos novos por 100 mil habitantes, a região de Bagé apresentou aumento de 78 casos em dois dias, subindo de 288 em 15 de maio para 392 em 18 de maio, quando alcançou a maior incidência do Estado na última semana.

Além disso, com o aumento de incidência acumulada, deslocou-se na média estadual, que estava em 229,8 em 18 de maio.

Apesar da taxa de ocupação de leitos de UTI ainda estar em um patamar aceitável, o aumento no número de casos novos é preocupante, dada a baixa disponibilidade geral de leitos na região.

Clique aqui para ler o relatório do Aviso emitido pelo Estado para Bagé.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...