Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Educação
“Maior demanda é trabalhar para poder se manter”, afirma presidente da CDL de Erechim
Rosângela Truylia disse que o lojista espera que seja permitida a cogestão para que os prefeitos possam adotar medidas mais brandas nos municípios
Leandro Vesoloski
por  Leandro Vesoloski
16/03/2021 10:11 – atualizado há 1 mês
Continua depois da publicidadePublicidade

No dia 19 de março Erechim completará um mês desde que foi decretada a bandeira preta indicando altíssimo risco para o coronavírus. Neste período de severas restrições, especialmente ao comércio, lojistas tem enfrentando dificuldades e lutado pela sobrevivência de seus negócios.

A presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL- de Erechim Rosângela Spiazzi Truylia disse em entrevista ao Portal AU Online na manhã desta terça-feira, 16, que a maior demanda neste momento é voltar a trabalhar para poder se manter.

Reprodução

Rosângela explicou que o momento é bastante difícil. “Um mês de comércio parado após um ano de pandemia é muito difícil para alguns até retomar seus negócios. Temos relatos de pessoas que não vão voltar e outras que já gastaram suas reservas nas paradas anteriores”, argumentou a presidente. Para Rosângela Truylia, pequenos empreendedores e empresas familiares dependem exclusivamente do seu negócio aberto para manter o seus compromissos em dia. “A demanda maior é poder trabalhar para se manter” afirmou.

A presidente da CDL salientou que quem mais sofre são os pequenos comerciantes, as empresas familiares e os setores que não puderam atuar em nenhum momento. “Também tem aqueles que não conseguiram negociar o seu aluguel e a gente sabe que em Erechim, dependendo da área, o aluguel é uma parte bem alta do custo do empresário”.

Cogestão

Segundo ela, o lojista espera que nesta sexta-feira seja permitida a cogestão para que os prefeitos possam adotar medidas mais brandas nos municípios. “Seria um princípio, uma luz, pois com a cogestão pode-se permitir o atendimento com portas abertas, e o cliente estando na loja a venda é diferente”, disse Rosângela Truylia

No entendimento da presidente da CDL Erechim o comércio funciona como uma engrenagem. “Se eu não vendo eu não compro e a engrenagem vai travando, o comércio é assim”, afirmou.

Vendas de Páscoa

Rosângea Spiazzi Truylia disse que, caso o comércio seja autorizado a trabalhar, as vendas de páscoa não serão suficientes para recuperar os dias parados. “As pessoas estão cuidadosas quanto aos gastos, estão segurando e gastando somente com o que é prioridade”. A presidente explicou também que o lojista não está tendo capital de giro para manter o estoque renovado. “Estão trabalhando com o que tem e repondo conforme o seus recursos”.

A presidente da CDL concluiu dizendo que tem a expectativa de poder trabalhar e fez um apelo pelo fortalecimento do comércio local. “Esperamos que os consumidores apoiem o lojista local. Nosso comércio tem produto qualidade, preço e condições de pagamento, não precisamos ir para fora para comprar. A nossa esperança é que o consumidor de Erechim e região possa dar esse apoio aos lojistas”, finalizou Rosângela Truylia.

Para receber as notícias do AU pelo whatsapp, clique aqui

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...