Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cidade
Covid faz mais uma cidade parar no Rio Grande do Sul
São Francisco de Paula entra em lockdown a partir de segunda-feira.
O Sul
por  O Sul
13/03/2021 15:30 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

São Francisco de Paula, na região das Hortênsias, entra em lockdown a partir de segunda-feira (15), com medidas passando a valer a partir de 00h. O gatilho de disparo para acionamento do lockdown ocorreu no Boletim Epidemiológico de sexta-feira (12), que demonstrou 202 casos ativos. A regra para acionamento era a demonstração de 200 casos ativos ou 40 pessoas internadas. O lockdown, que obedece decreto municipal, segue até que o Boletim Epidemiológico aponte que casos ativos foram reduzidos a 175 casos e 35 pessoas internadas.

Reprodução

A partir de segunda, a circulação em espaço público sem justificativa fica proibida, mercados, açougues e similares poderão funcionar apenas por tele-entrega, assim como restaurantes, lancherias e padarias. Farmácias poderão operar de forma presencial, proibindo a venda de perfumaria. Hotéis ficarão proibidos de admitir novos hóspedes. O comércio, em geral, permanecerá fechado, sem a possibilidade de tele-entrega. Estabelecimentos que vendem alimentos para animais, assim como medicamentos, poderão funcionar por tele-entrega. A construção civil permanece fechada. A indústria em regra pode funcionar com capacidade de 50% dos funcionários, com exceção da indústria alimentícia que pode funcionar com capacidade de 75%.

Os serviços no geral também permanecem suspensos, como faxineiros, babás, cozinheiros, motoristas, assim como serviços de higiene pessoal. Serviços de advocacia e contabilidade permanecem apenas com atendimento remoto. Para informações mais detalhadas, a recomendação é a leitura do Decreto na íntegra.

A administração municipal passa a funcionar somente com atendimento remoto. O prefeito Marcos Aguzzolli destaca que foi evitado ao máximo tomar medidas tão extremas, mas que o momento exige decisões firmes. “O momento é crítico. Evitamos a todo custo o fechamento total, mas agora é hora de proteger vidas. Nós estamos tendo coragem de fazer o necessário para proteger a nossa gente”, completou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...