Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Bombeiros Militares do CBMRS fazem Curso de Salvamento em Desastres no CBMGO
A atividade foi realizada de maneira a simular o próximo possível do real, permitindo que a tropa pudesse sentir-se como o resgatista e, também, como a vítima
SSP/RS
por  SSP/RS
13/03/2021 06:52 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Dois soldados do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) retornaram de um Curso de Operações de Salvamento em Desastres (COSD/21), no Corpo de Bombeiros Militar de Goiás, que durou 52 dias. Essa foi a segunda edição do curso, realizada com bombeiros militares de nove estados além da Força Aérea Brasileira, no 1º Batalhão de Bombeiro Militar, na capital goiana.

Aplicado em módulos, o COSD21 teve como objetivo especializar o militar para o desenvolvimento de atividades de resposta em Operações de Salvamento em Desastres, aprimorando os conhecimentos da tropa através de instruções com táticas inovadoras. O curso também explorou o emprego de técnicas e equipamentos existentes, permitindo, assim, a preparação da tropa para resposta à desastres ambientais. O profissional é capacitado para executar operações de salvamento em desastres naturais e colapsos de edificações e barragens, tornando-o também um agente multiplicador.

Três bombeiros estão de pé com equipamentos de proteção e com lanternas acoplados em seus capacetes. Um outro agente está sentado no chão enquanto segura um objeto com um dos agentes de pé.
Os agentes passam por simulações de desastres naturais. - Foto: Divulgação/CBMRS

Os cinco módulos do COSD21 foram constituídos em categorias, sendo o primeiro ministrado de maneira teórica, dando aos militares o conhecimento necessário para as atividades práticas, como oficinas de Deslizamento e Soterramento, Busca e Resgate em Inundações e Enxurradas, Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas (BREC) e, ainda, um módulo complementar com simulação operacional. Com uma carga horária de 350 h/a, o curso ainda possibilitou aos soldados da corporação um certificado de "Atletas Iniciantes de Orientação e de Mapeadores", ambos reconhecidos internacionalmente.

Segundo o soldado Henrique Machado Souza, o curso foi ministrado de maneira muito técnica, com instrutores experientes que participaram das buscas em desastres como o ocorrido em Brumadinho. Os alunos foram expostos a um severo isolamento, para que fosse possível simular uma operação de acidente real, onde não há sinal de telefonia, por exemplo. “Não foi fácil pois ficamos longe da família, sem contato com o mundo exterior, isolado no campo de instrução”, comentou Souza, da Companhia Especial de Busca e Salvamento.

A atividade foi realizada de maneira a simular o próximo possível do real, permitindo que a tropa pudesse sentir-se como o resgatista e, também, como a vítima. “Essa experiência trouxe um crescimento pessoal muito importante, pois nos ensina a ter humildade e lealdade como base, até o fim”, destacou o Souza.

Os bombeiros estão embarcando em um dos caminhões do curso. No lado direito da imagem, é possível ler detalhes do curso na lateral de um dos caminhões.
Os agentes passam por simulações de desastres naturais, permitindo agir como o resgatista e, também, como vítima. - Foto: Divulgação/CBMRS

Para o soldado Leonel Afra Estanislau, lotado no 3º Batalhão de Bombeiro Militar (3º BBM), com sede em Rio Grande, o curso exige bastante resistência psicológica e física e que entrega uma bagagem técnica imensa. “Passamos praticamente dois meses longe da família, colegas e amigos e acabamos sentindo muito a falta desta convivência. Contudo, sabemos como é importante buscarmos algo novo e adquirir conhecimento atualizado e técnico. A ideia é essa, sair da zona de conforto, multiplicar e disseminar novas técnicas. Mostrar aos colegas como é essencial a especialização constante, o que ela representa na nossa profissão e motivá-los a fazer o mesmo” ressaltou soldado Leonel.

O comandante da Companhia Especial de Busca e Salvamento, capitão Gustavo Lock, destacou a importância de ter militares mais capacitados na tropa. “O curso é de extrema importância pela qualificação continuada da corporação, principalmente na CEBS, que trabalha com grandes adversidades. É essencial que nós tenhamos profissionais qualificados para atuarem nas mais diversas temáticas do salvamento. Esse curso foi fundamental por ser uma referência nacional e por ter possibilitado ao soldado Souza, participar de operações de desmoronamento, deslizamento e resgate em águas rápidas, pois são temáticas que englobam uma multiplicidade de atuações da área de salvamento, especializando os militares”, enfatizou o capitão.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...