Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Agro
Após a chuva vem o sol
Por Ivan Ramos - Diretor Executivo da Fecoagro
Ivan Ramos - Dir. Fecoagro-SC
por  Ivan Ramos - Dir. Fecoagro-SC
08/02/2021 04:13 – atualizado há 3 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Existe um ditado popular que diz: “após a chuva vem sol”, utilizado para pregar otimismo após uma tempestade, e que pode ser associado a outros: “após a tempestade vem a bonança”, que pode vincular a outra realidade sobre o clima: depois da estiagem vem a chuvarada. Foi o que aconteceu recentemente em SC, os dois extremos das intempéries: estiagem, seguida de enchentes. Os dois sistemas afetando o meio urbano e rural. Mas além do clima outros problemas podem provocar dissabores ao setor agropecuário.

Em tempos de pandemia, onde o setor agro continuou trabalhando e garantindo o alimento à população, também foi identificado que os produtores rurais tiveram seus preços na grande maioria valorizados. A safra andou bem, apesar da estiagem, a produtividade foi boa, e os preços se valorizaram. Por outro lado, os altos preços dos grãos como a soja e o milho, oneraram os custos de produção das proteínas animais, ou seja, das carnes e também do leite. Como o mercado internacional ficou aquecido os preços compensaram, embora que em nível interno, no Brasil, passou a atingir os consumidores pelos altos preços.

Outra preocupação que precisa estar presente na ordem do dia é o “daqui pra frente”. Todos nós sabemos que a atividade agrícola é muito volátil, em clima e em preços. Em um ano vai bem e no outro nem tanto. Muitas vezes alguns produtos conseguem bons resultados econômicos e outros não, portanto, sempre tem alguém em dificuldades. O que se espera é que em situação de bonança, os produtores façam o pé de meia em épocas de vacas gordas, para enfrentar eventuais épocas de vacas magras.

Já começa a pipocar problemas com o preço do leite, já tem praga afetando as lavouras de milho comprometendo a produção, os preços dos fertilizantes e dos demais insumos agrícolas estão subindo, e inevitavelmente vai afetar a rentabilidade dos nossos agricultores. Portanto, embora eles já estejam acostumados com esses altos e baixos, é bom estarem prevenidos com reservas para enfrentar outras dificuldades que poderão surgir. Pense nisso.

Ivan Ramos é Diretor Executivo da Fecoagro - Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...