Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Rio Grande do Sul
Professores devem ser incluídos em plano estadual de vacinação
Impasse que envolve governo federal pautou videoconferência entre deputados e a secretária da Saúde, Arita Bergmann, na Assembleia Legislativa
Rádio Guaíba
por  Rádio Guaíba
29/12/2020 21:56 – atualizado há 33 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

A secretária estadual de Saúde, Arita Bergman, considerou a inclusão dos professores no grupo prioritário do plano preliminar de vacinação contra a Covid-19 no Rio Grande do Sul. A solicitação, feita em videoconferência na tarde desta terça-feira, partiu da Comissão Representativa responsável pela Assembleia Legislativa durante o recesso parlamentar.

Arita lembrou os deputados de que a criação de um plano estadual depende ainda da aprovação do Ministério da Saúde e do registro na Anvisa dos imunizantes em teste. Além disso, só vai ser implantado um cronograma estadual caso o governo federal não apresente um plano de nível nacional.

Foto: Reprodução ALRS / Divulgação

Uma segunda reunião para atualizar a situação das vacinas deve ocorrer entre 11 e 14 de janeiro. Atualmente, o grupo prioritário, no projeto elaborado pelo Ministério da Saúde, é composto apenas de idosos e trabalhadores da saúde. Porém, a secretária informou, durante a reunião, que a ideia, no Rio Grande do Sul, é incluir, ainda na primeira fase, educadores e pessoas privadas de liberdade.

Segundo o deputado estadual Pepe Vargas (PT), a possível retomada das aulas de forma presencial em fevereiro de 2021, representa uma preocupação para os educadoreas. Ao votar a favor do projeto que manteve a majoração das alíquotas de ICMS até o fim de 2021, na semana passada, a bancada do PT apresentou como contrapartida a apresentação, pelo governo, de um plano de vacinação estadual.

No início do mês, o governador Eduardo Leite afirmou que confia ao Ministério da Saúde a aquisição e distribuição das doses de vacina contra a Covid-19 em todo o território nacional. Mesmo assim, pediu uma “comunicação clara” sobre as estratégias em relação à campanha. Apesar disso, Leite disse estar em negociação com o Instituto Butantan, que vai produzir a Coronavac no Brasil, para a compra de doses a serem destinadas aos profissionais da saúde.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...