Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Santa Catarina
"Safras cheias e preços nas alturas”
Por Edilamar Wons, 2º vice-presidente da Cooperalfa
Edilamar Wons
por  Edilamar Wons
15/12/2020 17:20 – atualizado há 8 horas
Continua depois da publicidadePublicidade

Na Cooperalfa, o setor de logística foi fortemente impactado, especialmente no primeiro mês da pandemia, (março) em que as pessoas estavam ainda chocadas e com medo do que viria pela frente. Muitos motoristas sentiam-se desencorajados a continuar circulando por este Brasil afora. No entanto, felizmente, e gradativamente, a consciência da sua importância na cadeia de alimentos foi sendo retomada e a situação, aos poucos, normalizada. Nossa frota própria tem contribuído na performance geral da gestão, em especial, no equilíbrio de custos.

O setor de logística assume papel estratégico nas empresas, pois o cliente cada vez mais exige que a mercadoria seja entregue no prazo e com qualidade. Para isso, temos que estar atentos às novas ferramentas para gestão de logística, como softwares de georreferenciamento e a roteirização para as frotas, visando o monitoramento em tempo real pelas transportadoras e clientes. Além da distribuição eficiente e competitiva, buscamos a satisfação do consumidor por meio de um pós-venda funcional. Afinal, precisamos de resultados econômicos e sociais. Por exemplo, conhecendo a rota do caminhão de insumos, o associado tem condições de programar melhor o manejo das lavouras.

Pretendemos desenvolver ferramentas mais avançadas para que o agricultor saiba com antecedência, no seu celular, o horário de chegada das cargas, permitindo melhor gestão do seu tempo.

A safra 2019/20 transcorreu de maneira formidável na região da Cooperalfa, com volume acima do projetado para receber no ano. Aliás, na média, foi registrado um excedente mensal de 40 mil toneladas de mercadorias movimentadas. Com safras cheias e preços igualmente nas alturas, o resultado econômico-financeiro da cooperativa não poderia ser outro, senão o melhor da história.

Não fosse a preocupação com a estiagem pela qual atravessamos na reta final de 2020, com maior destaque para o oeste catarinense, estaríamos numa situação muito confortável, para entrar em 2021 com o pé direito. Queira Deus que esta situação se reverta o quanto antes, pois atingiu em cheio as lavouras de milho plantadas no cedo e a produção animal.

Além de safras cheias, para 2021, o setor de cereais da Cooperalfa tem outras grandes expectativas que é reduzir os custos operacionais por saca recebida nos silos e agilizar os processos de carga e descarga, por meio de sistemas de automação eficientes. Tudo isso impacta diretamente na formação do preço pago ao produtor. Quanto menos gastamos, mais poderemos pagar por saca recebida. Logicamente, a rentabilidade da cooperativa com os grãos depende de uma série de fatores, como clima, volume de produção, consumo mundial e câmbio. A manutenção do dólar nos patamares atuais não é favorável.

Por fim, desejo a todos um Feliz Natal e que o ano de 2020 não tenha deixado somente marcas de dor, mas que tenha despertado sentimentos de gratidão pela saúde que temos, pela família e amigos. Que todos tenhamos um 2021 próspero e repleto de muito amor.

Edilamar Wons, é o 2º vice-presidente da Cooperalfa - Cooperativa Agroindustrial Alfa

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...