Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Santa Catarina
Estiagem em Santa Catarina se iguala a pior da história
Nas regiões mais afetadas de SC, 80 cidades decretaram situação de emergência. A previsão é de que o período de secas se estenda até o ano que vem, por influência do fenômeno La Niña.
NSCTotal
por  NSCTotal
18/11/2020 16:16 – atualizado há 27 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

A estiagem em Santa Catarina, que começou em meados do ano passado, já se iguala a mais severa da história, registrada em 1957, segundo o hidrólogo da Epagri, Guilherme Miranda. A previsão é de que o período de secas se estenda até o ano que vem, por influência do fenômeno La Niña.

A situação é preocupante principalmente nas regiões do Extremo Oeste, Oeste e Meio Oeste, onde o déficit hídrico no ano alcança 711mm, 801,9mm e 895,9mm, respectivamente, de acordo com dados da Epagri. Nas regiões mais afetadas de SC, 80 cidades decretaram situação de emergência, segundo a Defesa Civil.

Veja o balanço das regiões

- Regional de Concórdia: dos 14 municípios, 13 decretaram situação de emergência.

- Regional Xanxerê: dos 20 municípios, 14 decretaram situação de emergência. 

- Regional de Chapecó: dos 22 municípios, 19 + 2 vigentes (Jardinópolis e Nova Erechim) decretaram situação de emergência.

- Regional de Maravilha: dos 17 municípios, 17 decretaram situação de emergência. 

- Regional de São Miguel do Oeste: dos 19 municípios, 17 decretaram situação de emergência.

Situação agravada pelo Aquecimento Global

Segundo Guilherme Miranda, é necessário que o governo e agricultores estejam preparados para enfrentar situações extremas de secas e períodos de muitas chuvas.

– Essa situação vai continuar se repetindo. Nós vamos conviver com eventos mais extremos, seja de enchente ou estiagem, com mais frequência por causa do Aquecimento Global – afirma.

Alimentos mais caros

A produção agrícola de Santa Catarina tem sofrido grandes perdas nos últimos meses por conta da estiagem. A redução da oferta de vários itens básicos reflete diretamente no bolso do consumidor. Segundo o vice-presidente da Faesc, Enori Barbieri, a inflação dos alimentos já está em 10% este ano. A safra do alho foi a mais atingida no inverno, com uma redução de 15%, aponta a Epagri. A criação de suínos, aves e gados de leite também estão sendo muito afetadas.

Regiões afetadas recebem ajuda do governo

Nesta semana, o governo do Estado solicitou apoio da Assembleia Legislativa para destinar R$ 3 milhões aos atingidos pela falta de chuvas. Com a liberação de recursos, mais de 2.000 propriedades rurais do Oeste que enfrentam falta de água podem ser beneficiadas. O governo já havia liberado um total de R$ 42 milhões para as regiões afetadas pela seca.

Previsão para o futuro

Apesar de ter chuva prevista em todo Estado para a segunda quinzena de Novembro, o volume deve ser baixo, principalmente no Oeste. O meteorologista da NSC Comunicação, Leandro Puchalski, explica que a estiagem em Santa Catarina faz parte da normalidade do clima, especialmente quando ocorre o La Niña. O fenômeno é o principal responsável pela redução dos volumes de chuva, e deve se estender pelo verão de 2021.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...