Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cidade
“Não queremos fazer parte da política”, afirma o comandante do Exército Brasileiro
"O fato de, eventualmente, militares serem chamados a assumir cargos no governo, é decisão exclusiva da administração do Executivo", ressaltou Pujol.
O Sul
por  O Sul
13/11/2020 15:57 – atualizado há 43 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

O comandante do Exército Brasileiro, general Edson Leal Pujol, disse, durante uma transmissão ao vivo por uma rede social, que os militares não querem “fazer parte” da política nem querem que a política “entre” nos quartéis.

Pujol deu a declaração depois de o presidente Jair Bolsonaro dizer que “quando acaba a saliva, tem que ter pólvora” ao se referir à possibilidade de o País ser alvo de sanções por conta do desmatamento na Amazônia. A fala de Bolsonaro gerou críticas de parlamentares e uma onda de piadas nas redes sociais, muitas com referências ao Exército Brasileiro.

Valter Campanato/Agência Brasil

Na noite de quinta-feira (12), o comandante do Exército participou de um evento virtual promovido pelo Instituto para Reforma das Relações Entre Estado e Empresa. “Não queremos fazer parte da política governamental ou política do Congresso Nacional e muito menos queremos que a política entre dentro dos nossos quartéis. O fato de, eventualmente, militares serem chamados a assumir cargos no governo, é decisão exclusiva da administração do Executivo”, ressaltou o general gaúcho.

Segundo Pujol, nos dois anos em que ele está à frente do Exército, o Ministério da Defesa e as Forças Armadas se preocuparam “exclusivamente e exaustivamente” com “assuntos militares”.

“A respeito da política e dos militares, o que eu tenho a dizer é que, nesses dois anos, o Ministério da Defesa e as três Forças se preocuparam exclusivamente e exaustivamente com assuntos militares. O nosso diagnóstico é de que precisamos aumentar, e muito, a nossa capacidade operacional”, disse o general.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...