Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde
Estudo da vacina contra a Covid-19 entra na última fase no Hospital São Lucas, em Porto Alegre
Pesquisa ainda não tem previsão de término
Correio do Povo
por  Correio do Povo
06/11/2020 15:41 – atualizado há 36 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Com 1.090 voluntários da área da saúde em Porto Alegre e Região Metropolitana, o estudo da vacina contra o novo coronavírus, realizado pelo Hospital São Lucas em parceria com o Instituto Butantan e a farmacêutica Sinovac, está na terceira e última fase de testes.

Com a decisão de ampliar o escopo da pesquisa no mês de setembro, o número total de voluntários previstos em todo País passou de 9 mil para 13 mil. Mesmo sem previsão de término, o estudo - que envolve ainda 11 centros de pesquisas no país - se encaminha para a última fase antes de a vacina ser aprovada.

Após aplicar as primeiras doses do imunizante contra a Covid-19 no início de agosto num grupo de profissionais da saúde, o São Lucas já ultrapassou a meta inicial de 852 participantes.

Todos os participantes recebem pelo menos uma das doses da vacina ou placebo no Hospital. Líder do estudo e chefe do Serviço de Infectologia do HSL, Fabiano Ramos, explica que desde setembro profissionais da área da saúde com mais de 60 anos ou que já tiveram Covid-19 também podem participar da pesquisa. "Vacinando pessoas que tiveram contato com a doença o estudo fica muito mais próximo da realidade", observa.

BRUNO TODESCHINI/PUCRS/DIVULGAÇÃO/JC

Segurança

Com base em dados apresentados pelo governo de São Paulo e do Butantan, Ramos afirma que a vacina apresentou efeitos colaterais discretos e 'segurança muito boa'. "Pode ter cefaleia, dor na aplicação da vacina, que são eventos mais comuns, dor no corpo, nada além disso até o momento. Isso mostra o que já tinha sido evidenciado nos estudos de fases 1 e 2 com a vacina", ressalta.

Durante o estudo, os candidatos recebem duas doses da vacina, em intervalo de 14 dias. "A gente vai acompanhar todos os voluntários por pelo menos um ano. Têm respostas em relação à vacina que vamos ter ao longo desse período, ou às vezes até mais do que esse período", salienta.

Na reta final da pesquisa, Ramos assinala que a falta de candidatos e a desistência de alguns voluntários têm sido um desafio para concluir os testes. Por isso, a instituição está em busca de novos participantes para contribuir com a meta geral de pessoas captadas entre todos os centros que realizam os testes no país. "Se tudo der certo, vamos iniciar avaliação (da vacina) no mês de dezembro. A gente tem ainda abertas as inscrições e disponibilizamos dois números do WhatsApp, no site do São Lucas, às pessoas que têm interesse em participar do estudo", frisa.

O HSL pretende incluir 200 candidatos aos estudos. "Existe dificuldade de contactar voluntários. Muitos estão trabalhando, outros se inscreveram meses atrás e não têm mais interesse", completa.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...