Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Bebê sofre cortes, mas passa bem após ser roubada de mãe grávida morta em SC
Recém-nascida está internada no Hospital Infantil, em Florianópolis.
NSCTotal
por  NSCTotal
29/08/2020 01:13 – atualizado há 1 minuto
Continua depois da publicidadePublicidade

O bebê que foi roubado do ventre da mãe em Canelinha, na Grande Florianópolis, teve ferimentos nas costas causados por um estilete, mas passa bem. A recém-nascida deu entrada no Hospital Infantil Joana de Gusmão, na Capital catarinense nesta sexta-feira (28), onde foi medicada com antibióticos e remédios para a dor, devido as lesões. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

A mãe da criança, grávida de 36 semanas, havia desaparecido na quinta-feira (27) e foi encontrada morta no dia seguinte, em uma cerâmica de Canelinha, cidade vizinha de São João Batista, onde as duas mulheres moravam. A autora confessa era amiga de infância da vítima e foi presa nesta sexta-feira (28). Em depoimento à polícia, a mulher disse que planejou o caso para ficar com a criança após sofrer um aborto no começo do ano e que agiu sozinha. O cônjuge da suspeita, que levou a recém-nascida roubada ao hospital, também está preso.

O casal será indiciado por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e lesão corporal gravíssima - contra o bebê.

O assassinato da gestante Flavia Godinho Mafra, 24 anos, foi planejado desde junho, ao menos, segundo a polícia. A suspeita do crime, além de confessar, deu detalhes sobre a ação. Ela relatou ter uma gravidez interrompida em janeiro deste ano, mas como não contou pra ninguém sobre o aborto, decidiu roubar uma criança.

Ela teria escolhido Flávia por serem amigas desde os tempos da escola e terem a gravidez em um período parecido. Assim, contou para vítima que teria organizado um chá de bebê surpresa e a levou até o ponto escolhido. Na quinta-feira à tarde a mulher presa chegou a enviar mensagens a uma servidora da saúde em Canelinha falando sobre o suposto parto, para justificar o aparecimento da bebê.

O corpo de Flávia foi localizado pelo marido e pela mãe dela. Ainda não é possível saber se o bebê foi retirado com a gestante viva ou se ela já estava morta. A autora do crime admitiu que usou um tijolo para matar a amiga, após atrair ela para o local com a justificativa de um chá de bebê surpresa.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...