Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Rio Grande do Sul
Governo do Estado busca apoio do Ministério da Saúde para compra de medicamentos em falta no RS
Soluções para a falta de remédios utilizados para intubação pautaram a reunião da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19 da Câmara dos Deputados realizada nesta segunda-feira
Assessoria Gov/RS
por  Assessoria Gov/RS
13/07/2020 22:25 – atualizado há 49 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Soluções para a falta de remédios utilizados para intubação pautaram a videoconferência da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19 da Câmara dos Deputados realizada nesta segunda-feira (13/7), com a participação da secretária da Saúde, Arita Bergmann, do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, da bancada federal gaúcha e de deputados estaduais. “Nossa maior preocupação neste momento é resolver o desabastecimento de remédios necessários à intubação dos pacientes mais graves da Covid-19”, disse Arita.

“Estruturamos a rede assistencial do Estado para que os gaúchos tenham todo o cuidado necessário para enfrentar e se recuperar da doença, mas não conseguiremos vencer o coronavírus sem esses medicamentos”, afirmou Arita, pedindo o auxílio das representações políticas em Brasília. Em paralelo, está em andamento uma compra internacional dos remédios junto ao Ministério da Saúde Pública do Uruguai.

A secretária agradeceu o apoio do Ministério da Saúde e dos parlamentares por auxiliarem o Estado a enfrentar a epidemia por meio de recursos financeiros, habilitação de leitos de unidade de tratamento intensivo (UTI) e envios de respiradores, entre outras ações. Pazuello prometeu visitar o Rio Grande do Sul nas próximas semanas, para auxiliar pessoalmente nas dificuldades demandadas pela epidemia da Covid-19.

O presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Filantrópicos e Religiosos do Rio Grande do Sul, André Lagemann, falou que é muito positiva a iniciativa do governo do Estado em auxiliar os hospitais a realizarem a compra desses medicamentos, que são de responsabilidade de aquisição dos próprios hospitais. “Temos uma grande parceria com a Secretaria da Saúde”, elogiou.

Entre as outras pautas discutidas, estiveram os pedidos de habilitação de novos leitos de UTI adulto pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A expectativa é alcançar um aumento de mais de 100% em relação ao total disponível no início da epidemia no Estado, passando de 933 para 1.909. Nesta segunda-feira, o Estado já conta com 1.630 leitos de UTI adulto por meio do SUS.

A secretária-adjunta, Aglaé Regina da Silva, ressaltou que o Estado trabalha para aumentar a quantidade de testes diagnósticos RT-PCR da Covid-19, pois esta é uma importante ação para combater o coronavírus. Ela pediu apoio para que mais testes sejam enviados ao Rio Grande do Sul.

A Secretaria da Saúde também está trabalhando para monitorar os recursos humanos que trabalham na linha de frente da epidemia nas UTIs. “Não adianta termos os equipamentos e ampliarmos sem planejamento o número de leitos. Precisamos ter certeza de que há mão de obra qualificada para trabalhar nos hospitais”, destacou a diretora do Departamento de Assistência Hospitalar e Ambulatorial, Lisiane Fagundes, em resposta a questionamento dos deputados.

O secretário de Atenção Especializada à Saúde do ministério, coronel Franco Duarte, salientou a importância da busca por tratamento precoce da Covid-19, sem que a doença se agrave para pneumonia e seja necessária a internação em leito de UTI.

“A luta pela preservação da vida não pode ter ideologia, nem raça e nem gênero”, disse Arita.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...