Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Esporte
Grêmio se manifesta sobre o caso Renato Portaluppi
Clube reitera a necessidade sobre a manutenção dos procedimentos sanitários estabelecidos dentro e fora do CT Luiz Carvalho a todos seus profissionais.
Assessoria/Grêmio
por  Assessoria/Grêmio
22/06/2020 17:53 – atualizado há 13 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

O Grêmio,  desde o início da pandemia do Covid-19 vem orientando seus colaboradores sobre cuidados necessários para barrar eventual contágio, além de implementar rígidos protocolos médicos e sanitários, seguindo todas as determinações das autoridades municipal e governamental, para preservar a integridade física de atletas, integrantes da comissão técnica e funcionários em geral.

Seguindo esta referência de procedimentos adotados pela instituição, o técnico Renato Portaluppi está sendo mantido, por recomendação médica, em isolamento social no Rio de Janeiro, onde reside. Neste sentido, mesmo não cabendo ao Clube responder por atividades de foro privado praticadas por seus profissionais, a instituição reitera que determinou a todos rigor e atenção à observância dos mesmos procedimentos sanitários estabelecidos para cumprimento no Centro de Treinamentos e fora dele.

“Comigo qualquer pingo vira uma tempestade”, afirma Renato

Técnico do Grêmio segue no Rio de Janeiro | Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação / CP

Flagrado jogando "altinha" em uma praia carioca e alvo de uma nota oficial do Grêmio, o técnico Renato Portaluppi comentou o caso em entrevista ao Correio do Povo. Ele garantiu que segue protocolos de segurança e que sua ida à orla foi rápida. Ele também demonstrou desconforto com a repercussão: “Comigo qualquer pingo vira uma tempestade”.

A ida de Renato à praia ocorreu neste fim de semana, no momento em que o Brasil ultrapassou os 50 mil mortos por Covid-19, sendo que o Rio tem quase 20% dos óbitos do país, além de 93,3 mil casos da doença. Os números, porém, não desencorajaram passeio do treinador, que assegurou estar se precavendo: “Desde o início da pandemia eu tenho tomado todos os cuidados e agora não foi diferente. Fiquei menos e uma hora na praia, dei um mergulho e dei dois chutes na bola”, relatou. “Isso é algum crime?”

Renato, que foi submetido a uma cirurgia cardíaca no início deste ano, segue no Rio de Janeiro por recomendação médica do próprio Grêmio. Ele lembrou que, estando em seu domicílio, não gera custos de moradia ao clube e salientou que não teria nem porque estar na capital gaúcha neste momento: “Não estou em Porto Alegre porque não tenho função nesse momento. Não posso juntar os jogadores para fazer um treino”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...