Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação/AU
Colunistas
Uma luz no fim do túnel
- Por Ivan Ramos
Ivan ramos
por  Ivan ramos
08/06/2020 07:55 – atualizado há 8 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Já se passaram três meses da oficialização da pandemia no Brasil e as pessoas até já estão se acostumando com a crise. Infelizmente. Ouvimos e assistimos tantas versões sobre o problema, que já se coloca dúvida em quase tudo o que se divulga.

O tradicional ditado de que tudo o que é demais enjoa, seja no bom ou no mau sentido, está presente. O tal pico da doença nunca chega, medidas oficiais e governamentais se contradizem, exageros se noticiam e a população acaba convivendo com essa situação. De positivo é que as pessoas já tomaram consciência que é importante se proteger, e que isso vai ficar preventivo para eventuais outras crises do gênero, e que as empresas já estão admitindo que terão que mudar costumes e sistemas de atuação.

O agronegócio, que mesmo em menor intensidade também sofre as consequências da retração dos mercados, devido o afastamento social, já está se ajustando a nova realidade. E pelo que parece, é o único setor que não paralisou totalmente e que mais uma vez vai ser o salvador da pátria. Até mesmo as pessoas do meio urbano e a mídia vem reconhecendo isso.

Tem sido sempre o agronegócio que ajuda a superar as crises. A exemplo de que se fala em nível nacional, também o setor agropecuário tem sido o último a entrar em crise, é o primeiro a sair dela. Além da nobre missão de manter o abastecimento da população com alimentos, o agronegócio tem proporcionado a recuperação econômica. Em SC, berço de grandes agroindústrias, ao mesmo tempo em que serve de referencia positiva em nível internacional, também tem sido notícia negativa com algumas providências oficias em determinadas plantas industriais.

Uma visão muito pontual e superficial sobre o assunto, provocando conceito negativo a todo um setor que certamente tem infinitamente mais pontos positivos do que eventuais negativos. Felizmente pelo que se percebe está havendo uma redução das visões negativas exageradas de algumas autoridades. A verdade é que já existe uma luz no fim do túnel. A economia aos poucos volta a operar, as pessoas a trabalhar a doença a ser controlada pelo menos em questões de disponibilidade de equipamento de proteção para eventuais casos graves, e assim vamos superando mais uma crise, no país e em SC, apesar das perdas de vidas ocorridas e que continuam a acontecer em algumas regiões.

Em nosso estado, proporcionalmente a outras unidades da federação parece eu estamos melhores. Florianópolis isoladamente tem sido referencia nacional de controle. No início da pandemia a voz corrente era que aqui seria o pior, pois concentrava o maior número de turistas no verão e que poderiam ter trazido o vírus de outros estados. Em que pese os erros e defeitos no andar da carruagem, no setor público resultado do desconhecimento do tratamento da doença, e da relativa inexperiência de um novo governo, e ainda do oportunismo de alguns empresários e gestores públicos na manipulação dos recursos públicos, mesmo assim estamos bem melhores do que outras regiões do país.

A atividade normal deve acontecer nos próximos dias quando a mobilidade urbana volta a funcionar e o comércio a fluir movimentando as pessoas e gerando renda. Mas os cuidados com proteção devem continuar. Depois disso é só nos reinventarmos para o pós-crise.

Programas de mídia estão sendo idealizados para ajudar a motivar a todos a se reinventar, continuar a vida, da forma que for possível. O Coronavírus está deixando inúmeras lições, basta que à partir de agora acreditemos que sempre após a tempestade é para vir a bonança. Pense nisso.


Ivan Ramos é Diretor Executivo da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina - Fecoagro

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...