Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Educação
Cpers vê com ressalvas calendário de retomada das aulas no RS
Sindicato dos professores apoia decisão de retardar atividades presenciais para julho, mas critica o fato de não ter sido consultado para elaborar plano
Rádio Guaiba
por  Rádio Guaiba
27/05/2020 21:33 – atualizado há 3 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Após o governo estadual ter anunciado o cronograma de retomada das aulas, o Cpers Sindicato reagiu com ressalvas ao calendário apresentado pelo governador Eduardo Leite, na tarde desta quarta-feira. O sindicato dos professores estaduais referenda a decisão do Palácio Piratini de adiar o retorno presencial das aulas para julho, mas critica o fato de não ter sido consultado para elaboração do plano.

Foto: Luiz Damasceno / Cpers / Divulgação

“Fiquei satisfeita em ver o governo anunciar que as aulas presenciais não começarão em 1° de junho. Vamos continuar com nossas aulas a distancia, domiciliares, que é a melhor forma de estarmos junto com nossos alunos e impedirmos a proliferação do coronavírus. Mas fiquei preocupada quando o governo diz que não ouviu o sindicato porque o sindicato não é representante da Educação, que somos representantes dos educadores, professores e servidores que fazem a Educação acontecer”, disse a presidente do Cpers, Helenir Schürer.

A professora também adverte para a possibilidade de o Estado retomar as atividades do ensino infantil, de forma presencial, já a partir de julho. “Espero realmente que o governo repense porque, de que forma nós vamos manter o distanciamento de uma criança de zero a três anos?”, questiona. Helenir Schürer ainda alerta para a falta de testagem em massa de professores, servidores e alunos para se garantir uma retomada segura do calendário letivo.

Conforme o cronograma do governo, todas as atividades em junho serão retomadas de forma remota, tanto do ensino privado quanto público. A partir de 15 de junho, voltarão as aulas presenciais do ensino superior ou técnico apenas em atividades que necessitem trabalhos práticos como em laboratórios para conclusão de cursos, por exemplo. Para julho, o Estado pretende retomar as atividades de ensinos infantil e médio. A intenção é normalizar o regresso em setembro.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...