Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Santa Catarina
Os números do cooperativismo catarinense
- Por Ivan Ramos
Ivan Ramos/Fecoagro
por  Ivan Ramos/Fecoagro
18/05/2020 08:50 – atualizado há 13 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Em todos os anos, no mês de abril a Ocesc - Organização das Cooperativas do Estado de SC, aproveitando a realização da sua assembleia geral com a presença de cooperativas de todos os ramos, divulga à imprensa e à comunidade catarinense, os dados do setor relativos ao exercício anterior. Neste ano, tendo em vista a pandemia, não foi possível realizar as reuniões presenciais, e consequentemente a divulgação dos números de forma festiva, mas restrita, e a mídia já está dando conhecimento à opinião pública.

Os números divulgados mais uma vez demonstram a importância do cooperativismo em nosso estado que tem avançado ano após ano, crescendo em diversos pontos, bem acima do que cresce a economia e as estatísticas do país. O ano de 2019 foi particularmente positivo para o agronegócio e o cooperativismo, confirmando as expectativas de que, com a posse de um governo mais liberal e menos estatizante, a livre iniciativa se reativou criando confiança, e os reflexos aparecem em todo o setor produtivo com repercussão nos empregos e na economia de modo geral, e, no caso do cooperativismo, promovendo a inserção social sem necessidade da defesa ideológica e extremistas em nome do povo.

Os dados da Ocesc mostram que o cooperativismo catarinense cresceu doze vezes mais do que a economia brasileira, e em comparação com o ano e 2018 cresceram em SC 12,71 por cento, o dobro do ano anterior, tendo atingido a cifra de R$ 40,7 bilhões em faturamento.

Em termos econômicos, as 47 cooperativas agropecuárias, representam 63 por cento do faturamento, do total das 254 legalmente existentes no estado, ficando cada vez mais evidente que, embora não tenham o maior número de associados, pois somam 72.587, as cooperativas desse ramo é que mais geram negócios no conjunto dos demais ramos.

No que diz respeito ao recolhimento de tributos as cooperativas catarinenses contribuíram aos cofres públicos no ano passado com R$ 3,2 bilhões, crescimento de 13,02 por cento em relação ao ano anterior, ficando muito evidente, que as cooperativas são arrecadadoras fieis dos impostos, pois os tributos acompanharam o crescimento da receita bruta. Ao par disso há que ser ressaltado que no ano passado as cooperativas foram responsáveis por 67.558 empregos, tendo crescido 6.62 por cento em relação ao ano anterior.

Os demais ramos do cooperativismo também tiveram crescimento considerável, porém pelas suas características de atividade não representam faturamento expressivo, mas pelos serviços que prestam aos seus associados também merecem o reconhecimento da população.

As 61 cooperativas de crédito dos diversos sistemas existentes também apresentam cifras significativas. Em número de associados são as mais expressivas, pois dos 2,7 milhões de associados em cooperativas existentes em SC, quase dois milhões são de cooperativas de crédito, que também somaram valores importantes no movimento econômico ultrapassando R$ 6 bilhões, sendo o segundo mais expressivo no conjunto dos ramos cooperativistas.

O que se espera é que esses números sejam considerados pelas autoridades, políticos e setor empresarial como a mola propulsora do setor agropecuário e de crédito cooperativo no estado, mas principalmente pelas suas ações naturais do que é de centralizar negócios, buscar resultados econômicos e sociais de interesse comum das pessoas, e distribuir as sobras, contribuindo para melhor distribuição de renda, aliada a manutenção de controles que garantam o recolhimento fiel dos impostos, e dessa forma contribuído com as arrecadações aos governos municipais, estadual e federal.

Qualquer pessoa bem intencionada sabe valorizar a ação das cooperativas e todos os governantes e políticos que querem o bem comum, também devem estar atentos para, quando necessário apoiar e estimular as cooperativas. E os associados, independentemente do ramo que pertença, ter a segurança que esta sendo buscado o melhor para todos, com transparência e gestão democrática e a confirmação de que juntos somos mais fortes. Pense nisso.

Ivan Ramos é Diretor Executivo da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina - Fecoagro

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...