Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cidade
IBGE devolverá R$ 2,8 milhões em taxas a 100 mil inscritos no concurso do Censo
Processo seletivo foi adiado por causa da pandemia de coronavírus
GZH
por  GZH
14/05/2020 23:02 – atualizado há 16 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai devolver os valores pagos pelas inscrições para o processo seletivo do Censo 2020, que foi adiado para 2021 por causa da pandemia de coronavírus. No total, serão restituídos R$ 2.823.775,95 a 100.735 candidatos que pagaram a taxa até o cancelamento do processo seletivo, em março.

Em um primeiro momento, a lista contempla 91.141 candidatos que estão sem impedimentos para receber a restituição. Os demais vão precisar de procedimentos especiais, pois possuem irregularidades no CPF ou algum outro tipo de pendência, mas todos receberão o dinheiro de volta, segundo o órgão.

As taxas pagas pelos interessados nas vagas foram de R$ 35,80 para concorrer a agente censitário, com exigência de nível médio de ensino, e R$ 23,61 para recenseador, em vagas que pediam ensino fundamental.

Segundo o IBGE, a devolução será realizada por meio do aplicativo Carteira Digital BB, do Banco do Brasil, disponível gratuitamente para celulares com sistema Android ou iOS.

Não é preciso ser correntista do banco para se cadastrar no aplicativo e a quantia pode ser sacada em qualquer caixa eletrônico da instituição, ser transferida para outra conta por TED ou realizar pagamentos com código de barras.

Por causa da pandemia de coronavírus, que até a noite desta quarta-feira causou 13.149 óbitos pelo país, com 188.974 casos confirmados de contaminados, o Censo Demográfico foi adiado para 2021. O IBGE informou que o Ministério da Saúde realocará orçamento no mesmo montante para assegurar a realização.

O Censo movimenta 180 mil recenseadores, que se dirigem a 71 milhões de domicílios em todo o território nacional. Agora, a próxima coleta de dados está prevista para ser realizada entre 1 de agosto e 31 de outubro de 2021.

A propagação da doença e as medidas restritivas adotadas por estados e municípios também suspendeu a coleta domiciliar presencial de outras pesquisas do IBGE, como a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), do Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor (IPCA, IPCA-15, IPCA-E e INPC) e do Sistema Nacional de Pesquisas de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI).

No começo de maio, o IBGE divulgou resultados da Pnad Contínua feita pela primeira vez por telefone, com objetivo de proteger os trabalhadores. Estava, porém, com dificuldades de ouvir os brasileiros.

O coordenador da pesquisa, Cimar Azeredo, disse que a taxa de resposta dos entrevistados foi de 61,6%, bem menor do que os cerca de 88% do mês de dezembro. A pesquisa ainda não havia sido desenhada para ser feita por telefone.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...