Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Agro
Estiagem em SC reduz expectativa da safra de milho, diz Secretaria da Agricultura
A estiagem afeta o Estado de Santa Catarina desde junho de 2019
ClicRDC
por  ClicRDC
23/04/2020 10:54 – atualizado há 44 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

A falta de chuva em Santa Catarina tem preocupado o setor produtivo do estado, segundo a Secretaria de Agricultura e Pesca. O território estadual passa por uma grave estiagem, que começou em junho de 2019 e é considerada a mais severa dos últimos anos. De acordo com a Secretaria, a situação deve afetar em uma redução de 10% a produção de milho.

As principais regiões afetadas são o Extremo Oeste, Oeste, Meio Oeste, Planalto Sul, Planalto Norte e Alto Vale do Itajaí. Situações semelhantes aconteceram apenas em 1978 e 2006.

Na quarta-feira (22), a Secretaria de Estado da Agricultura e a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) reuniram, via videoconferência, lideranças do setor produtivo e técnico para apresentar a situação atual do agronegócio catarinense e a previsão meteorológica para os próximos dias. Para apoiar os produtores, Secretaria da Agricultura tem a intenção de injetar R$ 60 milhões na economia catarinense.

Impactos na agricultura

Segundo levantamentos do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), os impactos da estiagem foram agravados em Santa Catarina nas últimas semanas. Os principais prejuízos são percebidos nas lavouras de milho grão, silagem, feijão e soja.

Conforme informações da Secretaria da Agricultura, Santa Catarina espera uma redução de 10% na produção de milho devido à estiagem, principalmente no Meio Oeste, Extremo Oeste e Extremo Sul. As expectativas são de colheita de 2,59 milhões de toneladas. O estado é o maior importador de milho do país e usa o grão para abastecer a cadeia produtiva de suínos, aves e bovinos.

O feijão foi uma das culturas mais afetadas pela falta de chuva. Em alguns municípios do Meio Oeste, as perdas chegam a 60%. No total, o estado deve ter uma quebra de 7% na produção em relação à safra passada. Os produtores de tomate, cebola e batata também sentiram os impactos da estiagem.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...