Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Agro
Lições de uma crise
- Por Ivan Ramos
Ivan Ramos/Fecoagro
por  Ivan Ramos/Fecoagro
20/04/2020 08:48 – atualizado há 18 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Esse assunto já abordamos em outras oportunidades, mas é sempre bom relembrar cada vez que nos deparamos com uma crise. É na ausência de alguma coisa, que se valoriza o que dispúnhamos. Vale rememorizar aquela famosa frase: “Nós éramos felizes e não sabíamos.”

Há inúmeros motivos para nos alertar disso. Por exemplo, somente valorizamos a água quando ela começa a faltar. A importância da energia elétrica só é considerada indispensável quando estiver indisponível. Só valorizamos o emprego que temos quando formos demitidos e tivermos dificuldades de conseguir outro. A valorização da nossa saúde só é lembrada quando ficamos doentes. Só damos valor ao alimento que temos quando ele nos falta por qualquer motivo. Só reconhecemos a importância da nossa família quando acontece a separação. E assim se pode enumerar diversos exemplos na nossa vida, no dia a dia.

A crise do novo Coronavírus está mostrando isso para a humanidade. Não se trata de questões ideológicas, politicas, partidárias, setoriais ou localização geográfica ou religiosa. Todo mundo está sentindo de alguma forma as dificuldades. Para os religiosos pode ser um aviso ou um castigo superior como chave para revisão dos nossos comportamentos, Para os materialistas são ações da natureza ainda não explicadas pela ciência.

Para ficarmos na nossa realidade convém pensarmos em tudo que nos cerca, nas atividades profissionais, na família e na comunidade em que vivemos.

No meio agropecuário e cooperativista também precisamos refletir, pois temos exemplos práticos que provocaram crises devido o comportamento humano inadequado. Por exemplo, um agricultor só valoriza a sua cooperativa quando ela deixa de existir. Já tivemos exemplos inclusive em SC para mostrar essa realidade. Algumas cooperativas por sua vez, só valorizaram suas entidades, tipo centrais, federações e organizações, o dia em que elas desaparecem. Comportamentos imediatistas e olhando somente o seu umbigo, não olham nem pensam no outro. Nem mesmo reconhece como era antes nessa atividade e como está agora.

Estamos num mundo globalizado, onde todos sabem de tudo o que acontece no mundo num clic e imediatamente. Por isso temos que valorizar o que está disponível, por que em tese, todos têm as mesmas condições de conseguir o pretendido. Esperamos que a crise atual, que é global, sirva para alertar-nos que temos que olhar ao nosso redor, reconhecer como era o mundo antes, e o que podemos fazer para o próximo, e não apenas querer desfazer dos outros.

Pode ser na saúde, pode ser na economia, no mercado, na concorrência, na política, na educação e até na religião. Se todos somos racionais temos condições de parar e pensar e não apenas reclamar e criticar alguma falha do outro. Vamos valorizar os atos e fatos positivos e cada um fazendo a sua parte, não olhando apenas para seu umbigo, só assim será possível chegar mais perto do ideal. Afinal, o sol nasceu pra todos, e juntos somos mais fortes. Pense nisso.

Ivan Ramos é Diretor Executivo da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina - Fecoagro

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...