Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Economia
INSS começa a liberar aposentadorias com as novas regras da reforma da Previdência
1,3 milhão de segurados esperam a liberação do benefício há mais de 45 dias.
AE - Agência Estado
por  AE - Agência Estado
10/04/2020 15:32 – atualizado há 19 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

A fila de aposentadorias do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), que estava parada desde o ano passado, voltou a andar no País. Com agências fechadas e servidores trabalhando de casa, o órgão começou, nesta semana, a liberar aposentadorias com as novas regras da reforma da Previdência, que passaram a valer no dia 13 de novembro de 2019.

Desde então, benefícios por tempo de contribuição e por idade não tinham resposta do instituto. A espera chega a praticamente cinco meses, o que fez com que a fila de benefícios em estoque esteja em 1,8 milhão, segundo informações do presidente do instituto, Leonardo Rolim. Desse total, 1,3 milhão de segurados esperam a liberação do benefício há mais de 45 dias.

De acordo com Rolim, a meta é fazer com que a fila seja zerada entre os meses de agosto e de outubro. O presidente do INSS informou ainda que só não é possível conceder benefícios especiais com as regras da reforma, assim como liberar a conversão de tempo especial em comum para quem tem direito.

A reforma da Previdência instituiu idade mínima nas aposentadorias do INSS de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. Quem passou a ter o direito ao benefício depois de 13 de novembro entra em regras de transição.

Os dados mostram que o maior índice de pessoas esperando benefícios é de deficientes ou idosos que têm direito ao BPC (Benefício de Prestação Continuada), que possui hoje 485 mil pedidos à espera de resposta. Em segundo lugar, vem a aposentadoria por tempo de contribuição, com 333 mil solicitações na fila e, em terceiro, os benefício por idade, com 298 mil requerimentos.

Dos 1,8 milhão de benefícios parados, 500 mil estão na fase de cumprimento de exigências, que é quando o servidor do INSS pede ao segurado que envie mais documentos para que a concessão possa ser feita.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...