Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Reprodução/Youtube
No pavilhão da Agricultura Familiar da Expodireto - Fartura e sabores únicos; Vídeo
O pavilhão da Agricultura Familiar vem batendo recorde de público todos os dias
Expodireto
Não Me Toque
Agricultura Familiar
por  Expodireto , Não Me Toque  e Agricultura Familiar
04/03/2020 19:22 – atualizado há 16 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Já provou queijo artesanal com leite cru, banhado no vinho ou do tipo Boursin? Na Expodireto Cotrijal tem. Na verdade, esse é apenas um aperitivo das muitas delícias que o visitante encontra no Pavilhão da Agricultura Familiar.

Estreantes na feira, os queijos da Agroindústria Alvorada Missioneira, de Canela, já caíram no gosto de visitantes de todas as partes do país e de fora. “Estou fascinado com a qualidade dos produtos. Em especial, dos queijos. O meu favorito é o banhado no vinho. Aprovadíssimo!”, exclamou o expositor Rafael Loppnow, de Timbó, Santa Catarina.

“Quem prova, leva. Trouxemos em torno de 600 peças e já estamos reforçando o estoque para não deixar ninguém na mão”, festejou Carlos Kaeffer, um dos proprietários. No estande, o cliente encontra ainda doce de leite artesanal, sem amido e sem glicose, para fazer uma combinação perfeita.

Há sete anos no mercado, a agroindústria, com premiação em nível de país, produz em torno de 10 tipos de queijos artesanais e derivados e industrializa 400 litros de leite/dia. A ideia é chegar a 1.000 litros/dia com a mesma excelência. Entre eles, o Chanclixe, queijo árabe que é recorde em vendas e também na opção banhada em azeite de oliva para facilitar o transporte para outros estados.

Os patês com sabores variados da Agroindústria Nossa Versão, de Gramado, são outra novidade e que prometem boas vendas. “A Expodireto é a grande vitrine. A expectativa é a melhor”, afirmou o proprietário Ronaldo Serafim. Criada há cinco anos, a agroindústria produz, em média, 500 quilos por mês.

O eletricista César Dias, de Getúlio Vargas, circulou pelos corredores acompanhado do sogro e com lista de compras. “Para toda a família. 

A ideia é levar queijo, pão, biscoito integral e rapadura”, justificou.

No pavilhão, são 191 estandes e 226 empreendimentos de 129 municípios do estado. Em 2019, o volume de negócios chegou a R$ 1,05 milhão. O espaço é organizado por meio de uma parceria entre a Cotrijal, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento (SEAPDR), Emater/RS-Ascar, Fetag e Fetraf.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE