Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Grêmio protocola na FGF reclamação contra a arbitragem da final do turno do Gauchão
Clube também solicitou áudio do diálogo entre cabine do VAR e árbitro no lance que gerou reclamação por possível pênalti em Everton
gzh
por  gzh
28/02/2020 14:16 – atualizado há 21 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

O Grêmio protocolou nesta sexta-feira (28), na Federação Gaúcha de Futebol, uma reclamação contra a conduta da arbitragem da final do primeiro turno do Gauchão, vencida pelo Caxias. A direção tricolor também solicitou o áudio da conversa entre os árbitros de vídeo e o principal da partida, Leandro Vuaden, na sequência à jogada em que Everton caiu na área — Vuaden não assinalou pênalti e manteve a marcação após consulta ao VAR.

A manifestação foi divulgada pela conta do Twitter do vice de futebol do Grêmio, Paulo Luz. Os protestos haviam começado já no pós-jogo. O técnico Renato Portaluppi criticou a decisão e o procedimento que teria sido adotado na revisão do lance polêmico.

Para o treinador, a decisão dos árbitros de vídeo se sobrepôs à necessidade de revisão do lance pelo próprio Vuaden na cabine do VAR.

— Recebemos o ofício. Enviamos para conhecimento da comissão de árbitros e demos encaminhamento junto à empresa que disponibilizou a tecnologia. Uma vez recebidas as mídias, a exemplo do procedimento adotado pela CBF em 2019, disponibilizaremos ao clube para conhecimento, sem problemas — explicou Luciano Hocsman, presidente da FGF, em contato com a reportagem de GaúchaZH.

O lance

Aos 17 minutos do segundo tempo, Everton esticou uma bola dentro da área do Caxias e apostou corrida atrás dela com o defensor grená. A bola saía em tiro de meta quando os jogadores se chocaram com os ombros — porém com o atacante à frente do zagueiro. Cebolinha caiu e reclamou por pênalti. O árbitro Leandro Vuaden assinalou tiro de meta, e o VAR revisou o lance. O jogo recomeçou sem mudança na decisão do juiz da partida.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE