Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Anvisa pede lista de passageiros de voo com brasileiro que voltou da Itália com suspeita de coronavírus
A Anvisa informou que pretende investigar outros passageiros do voo e divulgou nota informando sobre as medidas a serem tomadas
Agência Brasil
por  Agência Brasil
26/02/2020 11:01 – atualizado há 24 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) solicitou nesta terça-feira (25) a lista de passageiros que viajaram no mesmo voo do brasileiro que esteve no norte da Itália entre os dias 9 e 21 de fevereiro e que testou positivo o coronavírus.

A Anvisa informou que pretende investigar outros passageiros do voo e fez a seguinte nota:

Diante de exame preliminar positivo para coronavírus (Covid-19) em passageiro vindo da Itália para o Brasil no dia 21 de fevereiro deste ano, a Anvisa já tomou as seguintes medidas:

• Solicitou à companhia aérea a lista de passageiros que estavam no mesmo voo do passageiro com resultado positivo para coronavírus. O documento será encaminhado ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) para investigação de outros passageiros do voo que tiveram contato com o caso suspeito;

• Aumentou a criticidade no monitoramento dos voos internacionais provenientes de países onde há casos confirmados da doença. A lista foi atualizada no dia 24 de fevereiro pela Organização Mundial de Saúde (OMS);

• A Anvisa reforça: se você esteve nos países com casos confirmados e apresentar febre e mais de um sintomas respiratórios, procure atendimento médico de imediato e informe ao profissional de saúde a viagem feita para o exterior.

O Hospital Albert Einstein, na Zona Sul da capital paulista, registrou em 25 de fevereiro a notificação do caso suspeito de um homem de 61 anos. Ele é brasileiro e viajou para o norte da Itália entre 9 e 21 de fevereiro. O paciente tem sinais brandos da doença, como tosse, e está em isolamento domiciliar, em São Paulo.

"O paciente encontra-se em bom estado clínico e sem necessidade de internação, permanecendo em isolamento respiratório que será mantido durante os próximos 14 dias. A equipe médica segue monitorando-o ativamente, assim como as pessoas que tiveram contato próximo com ele", diz nota do Hospital Albert Einstein.

O Ministério da Saúde fez um pronunciamento oficial nesta quarta (26), após resultado do Instituto Adolpho Lutz. O governo afirma que vai mapear quem teve contato com o paciente.

A recomendação é isolamento domiciliar. Agora vamos fazer o mapeamento com quem ele teve contato", disse o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE