Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Divulgação
Cpers avaliza projeto que altera plano de carreira do magistério gaúcho
Acordo histórico seria reflexo da perda de poder do PT no RS.Entre outros, ficou acordado que quando o piso nacional aumentar, o subsídio subirá na mesma proporção para todos.
Rádio Guaíba/GaúchaZH
por  Rádio Guaíba/GaúchaZH
29/01/2020 04:38 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Pouco antes da votação da PEC que altera regras de aposentadoria do funcionalismo gaúcho, o lider do governo na Assembleia, Frederico Antunes se reuniu na sala Castelo Branco com toda a bancada do MDB (oito deputados), três representantes do Cpers e o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa. Integrantes do Cpers confirmaran que a reunião foi de negociação sobre a emenda proposta pelo MDB ao projeto de lei (PL) 03/2020, que altera o plano de carreira do magistério.

Ao final da reunião com integrantes do Cpers e o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, na Assembleia Legislativa, o deputado Gabriel Souza (MDB), comemorou o resultado das negociações. "Considero um entendimento histórico", resumiu.
Frederico Antunes (PP) disse que na manhã desta quarta-feira serão chamados todos os aliados e que as mudanças serão formatadas como uma emenda coletiva da base, assim como ocorreu com a PEC, que está em votação.

O projeto que altera o plano de carreira do magistério deve ser aprovado na Assembleia com um placar inesperado até para o mais otimista dos governistas. A provável aprovação é fruto da perda de poder do PT e das corporações, combinada com a força do diálogo: o acordo para melhorar o projeto foi construído a partir da lógica de que cada um teria de ceder um pouco para chegar ao texto possível.

O acordo começou a nascer na semana passada e teve articulações até fora do país. O deputado Gabriel Souza, o mais atento aos termos técnicos dos projetos, passou dias conversando com os secretários do núcleo técnico do Piratini. Em outra frente, o líder do governo, Frederico Antunes, conversou com Fábio Branco e Edson Brum, na viagem que os três fizeram à Argentina para participar de reuniões com embaixadores.

Nota lançada na segunda-feira (27) pelo Cpers, que saudou as propostas do MDB e sinalizou que o sindicato estaria aberto ao diálogo, em uma estratégia para reduzir danos, permitiu a ponte entre o sindicato e os governistas.

O acordo foi sacramentado em uma reunião a portas fechadas que durou cerca de duas horas, interrompida pelo menos três vezes por pedidos de verificação de quórum da oposição.

Em uma das interrupções, o procurador-geral Eduardo Cunha da Costa saiu junto com os deputados e, em uma sala reservada, com a proposta do bloco Cpers/MDB em mãos, ligou para o governador Eduardo Leite. Voltou à reunião com o sinal verde.

A presidente do Cpers, Helenir Schurer, intercederá junto à oposição para que todas emendas sejam retiradas e que apenas o “emendão” coletivo seja aprovado. Em contrapartida, os oposicionistas serão convidados a assinar a nova proposta.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE