Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Piratini definirá na próxima semana quais projetos do pacote serão votados
Convocação extraordinária na Assembleia Legislativa pode ocorrer entre os dias 27 e 31 de janeiro.
Correio do Povo
por  Correio do Povo
16/01/2020 22:01 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Somente na próxima semana o Palácio Piratini baterá o martelo em relação aos projetos do pacote de reforma que serão votados durante a convocação extraordinária, prevista para ocorrer entre os dias 27 e 31 de janeiro. 

Gustavo Mansur / Palácio Piratini / CP

Após duas semanas de reuniões, o governador Eduardo Leite recebeu, no final da tarde desta quinta-feira, líderes da base aliada para tratar das propostas. A intenção do Executivo era concluir o mapeamento de votos no Parlamento para definir a ordem dos textos apreciados em plenário ainda nesta sexta-feira. A falta de apoio para validar os textos do magistério e da previdência dos militares, porém, levou o governo estadual a postergar a definição.

As indicações foram repassadas pelo líder do governo, deputado Frederico Antunes (PP), que mediou as reuniões na Assembleia, ao governador. Sobre o magistério há pendências relacionadas ao início da aplicação das parcelas autônomas. No caso da previdência dos militares, a possibilidade de se ampliar a alíquota com relação à legislação federal é o grande impasse, como apontado por bancadas, como a do MDB.

Para aparar as últimas arestas, Leite garantiu que a equipe técnica analisará cada uma das sugestões a fim de avaliar o que poderá ser ajustado. O governo dará um retorno até a próxima terça-feira, quando será realizado um novo encontro da base. Depois, o termômetro político será verificado para que o Executivo defina a pauta de votações. Sendo assim, a previsão é de que a convocação extraordinária seja feita na quarta-feira.

Em relação aos encontros, Antunes reforçou a presença dos parlamentares, levando em consideração esse ser um período de recesso. “Nas discussões, recebemos sugestões e esclarecemos dúvidas, com auxílio da equipe técnica do governo. Tivemos a participação de 22 parlamentares e de mais de 70 assessores e coordenadores de bancadas”, afirmou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE