Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Governo do RS vai emitir certificado de conclusão para alunos afetados pela greve dos professores
Documento será para quem precisar comprovar a escolaridade para prosseguir os estudos.
Rádio Guaíba
por  Rádio Guaíba
07/01/2020 09:10 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

O Governo do Estado vai emitir certificado de conclusão para alunos da rede pública que foram afetados pela greve do magistério. O documento será para quem precisar comprovar a escolaridade para prosseguir os estudos. A medida foi publicada em forma de decreto no Diário Oficial do Estado desta terça-feira.

Conforme o decreto, a emissão do documento será feita mediante requerimento do aluno interessado ou de seus representantes legais e devem ser preenchidos os requisitos estabelecidos pela Secretaria Estadual de Educação. O certificado deve conter os dados das disciplinas, frequência, notas e número de dias letivos, além dos requisitos faltantes para a conclusão dos estudos.

Plano de recuperação de aulas

O Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul (TCE) emitiu medida cautelar, nesta segunda-feira, concedendo prazo de 72 horas para que a Secretaria Estadual da Educação apresente um plano de ação para a recuperação das aulas do ano letivo correspondentes ao período de paralisação das atividades dos professores, a partir de 18 de novembro de 2019. A greve do Magistério impactou diretamente na conclusão do ano letivo do ano passado.

A ação busca garantir aos estudantes o direito de, no mínimo, 200 dias letivos e assegurar a carga horária de 800 horas para o Ensino Fundamental e mil horas para o Ensino Médio.

Reunião

O governo antecipou para hoje a reunião com o Cpers Sindicato, agendada de início para a sexta, dia 10, a fim de discutir a suspensão da greve do Magistério e o pagamento dos dias a serem recuperados, após a decisão de corte de ponto.

O impasse envolve o pagamento dos dias parados durante a greve. Com ponto cortado, os professores que não trabalharam durante o período não receberam. O Executivo sustenta que valores serão pagos quando as aulas forem retomadas e recuperadas pelos trabalhadores. 

O Cpers reivindica receber os vencimentos ainda durante a paralisação. O governador já destacou que o foco estrito está no aluno, sem que o governo estimule paralisações ou greves.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE