Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Fumaça da Austrália chegará ao RS na madrugada desta terça-feira
Nesta segunda-feira (6), imagens de satélite já mostram a fumaça avançando sobre o Chile e a Argentina, em direção ao Brasil.
GZH
por  GZH
06/01/2020 21:27 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Os resquícios da fumaça proveniente dos incêndios florestais na Austrália deverão chegar ao Rio Grande do Sul na madrugada desta terça-feira (7), junto com uma frente fria que atravessará o Estado, segundo meteorologistas consultados por GaúchaZH. Nesta segunda-feira (6), imagens de satélite já mostram a fumaça avançando sobre o Chile e a Argentina, em direção ao Brasil.

Massa mais cinza atravessa o Chile e a Argentina rumo ao Brasil Reprodução / NOAA

De acordo com o meteorologista Lucas Cantos, da Somar Meteorologia, é justamente a chegada da chuva ao Rio Grande do Sul, com ventos soprando do Sudoeste, que reforçam a vinda da fumaça até o Sul do Brasil. Cantos explica que como o Estado está na mesma latitude da Austrália, os ventos sopram de Oeste para Leste – da Oceania para a América do Sul – e as queimadas na Austrália são de proporções extremas, a possibilidade de a fumaça cruzar o oceano Pacífico e chegar ao sul do continente americano já era prevista.

— A fumaça estará a 1,5 quilômetro de altura e se misturará às nuvens da frente fria. Por conta das partículas presentes nela, a formação de nuvens ficará acima do normal, podendo deixar o céu mais nebuloso por até 12 horas depois da passagem da frente fria — explica o meteorologista.

Apesar de o Estado estar distante mais de 13 mil quilômetros da Austrália, o chefe do Centro de Pesquisas e Previsões Meteorológicas (CPMET) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Leonardo Calvetti, aponta que esta primeira leva de fumaça vinda da Oceania levou cerca de sete dias para atravessar o Pacífico. Ao longo desta semana, mais cinzas das queimadas australianas deverão chegar, de forma esparsa, em meio a uma nova frente fria prevista para a partir da próxima quinta-feira (9).

— A chuva deve trazer parte das cinzas até o solo, pois a água carrega alguma fumaça para a superfície. Outra parte, os ventos da frente dissiparão para o Oceano Atlântico — ressalta Calvetti.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE