Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Crianças que morreram em acidente na BR-470 estavam uma sobre a outra e não usavam cinto
Colisão frontal ocorreu em Apiúna, no fim da tarde deste sábado (21).
Jornal de Santa Catarina
por  Jornal de Santa Catarina
22/12/2019 18:33 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Nenhum dos seis ocupantes do Vectra envolvido em um grave acidente que resultou na morte de duas crianças na BR-470, em Apiúna, usava cinto de segurança. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros Voluntários de Ibirama (CBVI) que atendeu a ocorrência com o suporte de policiais militares que chegaram primeiro ao local.

O carro, além de estar superlotado, também possuía objetos sobre o banco onde deveriam estar passageiros, de acordo com os bombeiros. Com isso, as crianças que teriam que estar na cadeirinha ou com o cinto de segurança, na verdade, estavam umas sobre as outras.

Das três que ocupavam o mesmo assento, de acordo com os socorristas, duas (de 4 e 9 anos) foram arremessadas em direção ao capô do carro e não resistiram aos ferimentos. Uma terceira criança, de 6 anos, foi levada em estado grave ao Hospital Regional de Rio do Sul.

Todos os outros ocupantes do Vectra também ficaram em estado grave. Em conversa com a reportagem, um dos bombeiros que atendeu a ocorrência relata que o passageiro do banco da frente estava com o corpo prensado no assoalho, embaixo do porta-luvas. Ele tinha múltiplas fraturas, laceração grave na cabeça, e o resgate dele foi o que mais demorou.

Vítimas identificadas

De todos, quatro seguem internados em estado grave e foram encaminhados para os hospitais Beatriz Ramos (Indaial), Regional do Alto Vale (Rio do Sul) e Doutor Waldomiro Colautti (Ibirama). Houve, inclusive, apoio do Helicóptero Águia, da PM, no deslocamento dos feridos às unidades de saúde.

Dos seis ocupantes do Vectra, dois morreram. Emanuelly Victoria Ribeiro, de 4 anos, e Gabriely Damaris Ribeiro, de 9. Elas eram da cidade de Coronel Vivida (PR), cidade no Sudoeste do Paraná que fica próxima a Pato Branco e Francisco Beltrão. Outro passageiro desse veículo era Eduardo Henrique Ribeiro, 6 anos, que foi arremessado para o banco da frente, teve ferimentos graves, e está na UTI do Hospital Regional do Alto Vale.

Deste carro ainda ficaram gravemente feridos Solismar Santos de Lima, Danimar Ribeiro e Ruben Bos. Já do outro veículo, foram quatro vítimas: Aldino Uller – que teve ferimentos graves, de acordo com os bombeiros –, Maria Lizete de Lucas Uller, Rogério Morlo e Andreia Uller Morlo.

Helicóptero da PM ajudou a salvar vidas

O grave acidente ocorreu na BR-470, na localidade do Ribeirão Carvalho, em Apiúna, justamente o local onde os criminosos envolvidos no assalto a banco da última terça-feira (17) se esconderam. Por conta disso o Helicóptero Águia, da Polícia Militar, foi o primeiro a chegar no local do acidente e prestou os primeiros socorros às vítimas.

Conforme o bombeiro que conversou com a reportagem e que estava na primeira viatura que chegou ao local, a presença do Águia pode ter ajudado a salvar pelo menos três vítimas que estavam no Vectra.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE