Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Karim Jaafar / AFP / CP
Flamengo e Liverpool decidem nesta tarde no Catar, a final do Mundial de Clubes
As duas equipes reeditam a final do Mundial de 1981, quando o Rubro-Negro venceu por 3 a 0, em Tóquio, conquistando o primeiro e único título do torneio
Correio do Povo
por  Correio do Povo
21/12/2019 11:39 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Em Doha, no Catar, Flamengo e Liverpool decidem neste sábado o Mundial de Clubes, a partir das 14h30min (horário de Brasília). As duas equipes reeditam a final do Mundial de 1981, quando o Rubro-Negro venceu por 3 a 0, em Tóquio, no Japão, conquistando seu primeiro e único título do torneio até hoje. Já os ingleses nunca ganharam a competição.

Os dois tiveram alguma dificuldade para chegar à decisão. Na terça-feira, o Flamengo virou para cima do Al Hilal, da Arábia Saudita, ganhando por 3 a 1, depois de um primeiro tempo muito fraco. No dia seguinte, o Liverpool sofreu diante do Monterrey, do México, vencendo por 2 a 1, com o segundo gol marcado já nos acréscimos, quando o confronto ia para a prorrogação.

O lateral Filipe Luís lembrou do período em que, mesmo antes de ser contratado pelo Flamengo, recebia mensagens falando que ele seria o marcador de Mohamed Salah na final do Mundial. “Muita gente escrevia no Instagram oito meses atrás: 'Vem para o Flamengo, vem marcar o Salah na final do Mundial'.

Parecia impossível, mas hoje estamos aqui”, espantou-se. “Todo mundo fala e são muitos anos escutando de Flamengo 3 x 0 Liverpool de 1981, mas a história é outra. Obviamente que tem toda essa coincidência. Passamos por tudo isso esse ano, e agora vamos enfrentar o Liverpool na final”, destacou.

Filipe Luís também analisou o ataque do Liverpool, composto por Salah, Mané e Roberto Firmino e falou que o trio está totalmente sincronizado. “Joguei com o Salah, com o Firmino e joguei contra o Mané. Eles são dinâmicos, se conhecem, trocam de lugar, sabem bem o que fazer em campo, têm a primeira pressão. É um trio que está completamente sincronizado, mas o Liverpool não é só os três”, diz.

Pelo lado inglês, o técnico alemão Jürgen Klopp analisou o Flamengo. “São rápidos, criativos no meio de campo e abusados nas laterais. Os cruzamentos são por cima e por baixo e chutam a gol de todos os lugares. É assim que um time de sucesso joga. Então, é o que sabemos sobre o Flamengo. Eu nunca joguei contra um time brasileiro, mas o Flamengo nunca joga contra um time como o Liverpool, por isso, estou ansioso para saber como será”, afirma.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE